Opinião | 09-08-2023 15:00

Municípios já não podem chumbar aeroportos

Municípios já não podem chumbar aeroportos
Ricardo Leão prefere não se pronunciar sobre a escolha da localização do novo aeroporto Solução Alverca não agrada ao presidente da Câmara de VFX, Fernando Paulo Ferreira, nem ao presidente da União de Freguesias de Alverca e Sobralinho, Cláudio Lotra

À Margem

Os municípios já não vão poder chumbar a localização do novo aeroporto da região de Lisboa, como aconteceu no passado, mas podem atrasar o processo de decisão se provarem que pediram um parecer há pelo menos três meses. A proposta de lei do Governo, aprovada em Junho com os votos favoráveis de PS e do Chega, e promulgada na semana passada pelo Presidente da República, foi publicada na segunda-feira, dia 31 de Julho, em Diário da República. O diploma entra em vigor no primeiro dia de Agosto.
Esta lei foi criada para acabar com uma guerra entre os autarcas da Moita e do Seixal que chumbaram o pedido de apreciação prévia de viabilidade de construção do aeroporto complementar do Montijo, apresentado pela ANA Aeroportos de Portugal.
Apesar de estar em contra o aeroporto em Alverca, os autarcas de Vila Franca de Xira nada podem fazer se o Governo decidir pelo aeroporto no concelho. O facto da câmara de VFX ser socialista não faz prever nenhuma guerra mas a posição dos autarcas não deixa de ser um sinal dos novos tempos.

Autarcas de Loures e VFX desvalorizam projecto do aeroporto em Alverca

Presidentes dos municípios de Vila Franca de Xira e Loures, ambos socialistas, preferem ficar em silêncio sobre o assunto e não questionar o trabalho da Comissão Técnica Independente que excluiu a opção Alverca para localização do novo aeroporto. Já o presidente da Junta de Alverca diz que a solução defendida por Carmona Rodrigues e José Furtado traz mais problemas que soluções para a cidade.

Aeroporto em Alverca nem pensar nisso! A ideia volta a ser defendida pelo presidente da Câmara de Vila Franca de Xira na sequência da entrevista concedida a O MIRANTE pelos promotores da solução Alverca como localização para o futuro aeroporto internacional de Lisboa, onde estes prometeram envergonhar a engenharia portuguesa e até acusaram o município de falta de diálogo e interesse em conhecer melhor o projecto.
O presidente do município de VFX, Fernando Paulo Ferreira, recusa tecer mais comentários sobre o assunto, lembrando que a sua posição é clara e já conhecida: qualquer das localizações possíveis em cima da mesa para o futuro aeroporto – incluindo Benavente e Santarém – é válida e positiva para Vila Franca de Xira, excepto a solução Alverca. E até considera que uma vez que o projecto foi descartado pela Comissão Técnica Independente (CTI) todo o ruído que possa continuar a produzir-se sobre o tema será prejudicial.
O autarca, recorde-se, já tinha recusado o uso da pista da OGMA em Alverca para uso de voos comerciais, defendendo que este deve apenas acolher pequenos voos e serviços que possam aliviar a pressão sobre o aeroporto da Portela; incluindo as ideias de receber aviação executiva, transferir os voos militares de Figo Maduro para Alverca e mudar as operações de manutenção da TAP para aquela cidade.
Já o vizinho Ricardo Leão, presidente da Câmara de Loures, território que também deveria ter uma palavra a dizer sobre a localização do futuro aeroporto – e que poderá vir a ficar na sua vizinhança caso a solução escolhida seja Montijo - diz a O MIRANTE não querer tecer qualquer comentário sobre a localização Alverca para o novo aeroporto, enquanto a CTI estiver a analisar os projectos. No entender de Ricardo Leão, dar uma opinião nesta fase seria perturbar a decisão dos técnicos, não sendo positiva para o futuro do projecto e do país.

“Mais problemas que soluções”
O presidente da Junta de Freguesia de Alverca do Ribatejo e Sobralinho, Cláudio Lotra, partilha da opinião do presidente da Câmara de Vila Franca de Xira. “Concordo com ele e não tem nada a ver com a cor política. O projecto do aeroporto de Alverca, tal como foi apresentado, não faz sentido e traz mais problemas que soluções”, defende a O MIRANTE. Para Cláudio Lotra, que lidera uma freguesia com 40 mil habitantes, o objectivo dos promotores, de aliviar a pressão de tráfego sobre Lisboa, não tem em conta o quanto iria prejudicar os moradores de Vialonga, Póvoa de Santa Iria e Alverca.
“Não lhes interessa isso porque não moram aqui”, critica Cláudio Lotra, acrescentando que desde que o novo executivo da junta tomou posse nunca houve um pedido de reunião para apresentação do projecto. “Sei que os promotores o apresentaram ao anterior executivo, mas connosco nunca reuniram. Tenho pena, porque assim também lhes poderia ter transmitido a minha opinião sobre o assunto”, explica.
A entrevista dos promotores do projecto a O MIRANTE voltou a trazer a solução Alverca para a discussão pública. Esta semana, José Furtado, num artigo de opinião publicado no site do nosso jornal e na edição impressa, considera que a região teria muito a ganhar com o aeroporto e diz ser difícil entender como “benefícios tão amplos e relevantes para os concelhos de Loures e VFX não foram até hoje dados a conhecer às populações”, para debate ou recolha de sugestões. No entender do engenheiro, “razões haverá mas uma coisa é certa, não foi por falta da equipa de desenvolvimento do projecto não ter tentado”.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo