Opinião | 01-11-2023 17:41

Nenhum HUB europeu está mais perto dos utilizadores que a solução Alverca - Portela

A solução una “1 aeroporto-2 terminais” supera, com largueza, os requisitos da Autoridade para a Mobilidade e transportes (AMT) para o aeroporto e para as ligações norte-sul.

A vertente ferroviária do HUB Alverca-Portela é o que mais distingue a solução de todas as outras. Pela oportunidade e teor das reveladas posições da presidente AMT na semana passada, pareceu-nos importante, enquanto a entrevista ainda está fresca, aferir a respetiva sintonia com a nossa solução.

HUB Alverca-Portela supera, com largueza, os requisitos AMT (e UE)

1 - “Novo aeroporto de Lisboa deve ser um lugar de convergência de todos os transportes”

Nos transportes e jet fuel, o HUB Alverca-Portela será nº 1 no ranking europeu do número/diversidade

i) ferrovia: cinco linhas metro, um shuttle direto St. Apolónia, seis ligações suburbanos, três ligações diretas de Alta Velocidade (AV) e todas as ligações regionais a norte do Tejo.

ii) rodovia: A1, CRIL, CREL e eixo norte-sul. Até uma ciclovia de 30km por lá passa e vai até ao centro.

iii) jet fuel: pode ser abastecido por oleoduto, barco, comboio e rodovia.

2 - Quanto à localização do aeroporto: “sei é que tem de ter exigências, e essas exigências têm a ver com a distância que é percorrida relativamente à localização dos principais utilizadores”.

Nenhum HUB europeu estará mais próximo dos utilizadores que a solução “1 aeroporto-2 cidades”, com quatro portas “in-out”, duas das quais já dentro da própria cidade (C. Grande e Portela).

O HUB Alverca-Portela será nº 1 no ranking europeu da competitividade.

3 - “É necessária uma nova travessia ferroviária do Tejo que garanta as ligações norte-sul”.

Hoje existe um bypass a Lisboa em bitola ibérica (1 via), que garante as ligações norte-sul. Ele começa numa ponte baixa de 800m em Setil (33km a norte de Alverca) e segue para sul, bifurcando (Bombel) numa linha para Faro e noutra para Évora.

A nossa solução soma outro bypass,mas em bitola europeia (2 vias), que reforça as ligações norte-sul. Ele começa numa ponte baixa de 900m no Carregado (15km a norte de Alverca) e segue para sul, com bifurcação para Évora-Espanha através da nova ligação AV Lisboa-Madrid mista (passageiros e carga).

O bypass de bitola europeia engloba ainda, em Alverca, uma ponte-móvel de 800m sobre o canal das barcas, que tanto serve a ligação AV Lisboa-Madrid como salva a população do trecho Alhandra-VFX, da perturbação da passagem rápida do novo AV Lisboa-Porto.

O HUB Alverca-Portela é superlativo versus AMT nas ligações norte-sul.

4 - Orientação UE: “Temos de deixar de ter transporte aéreo a distâncias inferiores a 600km”.

Lisboa é um HUB distribuidor, precisa de trocar as transferências avião-avião com Porto, Faro e Madrid por avião-comboio, o que só é possível com aeroporto em Alverca. Exemplifiquemos, hoje o trajeto Porto-Lisboa-S. Paulo, na totalidade em avião, será substituído por Porto-Lisboa em comboio AV, com transferência direta para o avião no HUB Alverca.

O HUB Alverca-Portela é superlativo em relação a AMT na transferência avião-comboio.

5 - Aeroporto versus risco: “não pode estar dentro de Lisboa porque é o chamado perigo iminente”.

A queda de um avião sobre população tem uma probabilidade infinitesimal, que diminui todos os anos. O “perigo” da aviação comercial é o mais baixo de todos os principais meios de transporte e é tudo menos “iminente”. Por isso, as trajetórias sobrevoam as mais populosas cidades. N. Iorque é sobrevoada por ano por mais de dois milhões de voos de quatro aeroportos na cidade. Com a nossa solução, Alverca terá trajetórias sobre água e, na Portela, reduzem-se os movimentos autorizados (250.000) para apenas 110.000 (descolando e aterrando mais dentro do aeroporto). Na categoria dos grandes aeroportos, o HUB Alverca-Portela será do grupo com menor risco de queda sobre sobrevoados.

6- “Ninguém que mora em Lisboa, se for a pensar em consciência, quer os aviões a passar por cima da cabeça quando está a dormir”.

AMT tem toda a razão. Alverca terá a pista sobre água afastada da população. O horário operacional no aeroporto-citadino não terá voos à noite. Portela será das 7.00h às 23.00h e, no fim-de-semana e feriados, só das 9.00-10.00h até às 23horas. Alverca terá a mais eficiente pista europeia, e o núcleo Portela terá o mais curto / menos perturbador horário de um aeroporto comercial. A visão global HUB Alverca-Portela é superlativa em relação aos mais exigentes critérios europeus no ruído.

Em síntese: confirmámos acima a larga superação dos requisitos AMT.

Para terminar, não é demais enfatizarmos o significado e grandeza do que propomos para Alverca-Portugal. Foquemo-nos apenas na ferrovia:

Estação Alverca-aeroporto será o maior entroncamento nacional:

Nela confluirão, por norte, três ligações (6 linhas férreas): Linha do Norte (bitola ibérica), nova Linha AV Lisboa-Madrid (bitola europeia) e nova Linha AV Lisboa-Porto (bitola europeia).

Pelo lado oposto, confluirão 8 linhas férreas: as quatro existentes (Linha do Norte em bitola ibérica), as duas novas em bitola europeia (ao longo do mouchão) e duas dedicadas ao comboio-automático.

Lisboa terá dois bypass ferroviários / Portugal terá quatro ligações norte-sul

Lisboa, em bypass: terá o existente com travessia em Setil (1 linha ibérica) e o novo com travessia no Carregado (2 linhas europeias).

Portugal, nas ligações norte-sul: Ponte-alta 25 de Abril (2 linhas ibéricas) + Ponte-móvel baixa em Alverca (2 linhas europeias) + Ponte-baixa no Carregado (2 linhas europeias) + Ponte-baixa em Setil (1 linha ibérica)

A revolução ferroviária poupa em ferrovia 5.000 milhões de euros ao país: O mais competitivo e eficiente conjunto HUB aéreo / HUB ferroviário / cluster aeronáutico, onde convergem todos os transportes e que concretiza as orientações UE 2050, engloba uma revolução ferroviária de amplitude nunca antes vista no nosso país, poupando só na ferrovia 5.000 milhões de euros que, na visão global, sobe para mais de 10.000 milhões de euros de poupança ao país.

As Comissão nomeadas eliminam a Visão Global antes da corrida por “falsa partida dos tacos” no ano 2016. Partiu à frente e distanciou-se.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo