Política | 25-05-2017 11:30

“IpT nunca teve projecto para o concelho e aliança prova isso”

PSD acusa Independentes por Tomar de cambalhota política.

A reacção do PSD de Tomar não se fez esperar emitindo um comunicado no dia seguinte à conferência de imprensa de IpT e PS onde acusam os independentes de nunca terem tido um projecto para o concelho e que a aliança agora feita é a prova disso.

“Há um ano os IpT assumiram concorrer às eleições autárquicas de 2017 dizendo 'Esperamos que os cidadãos não se continuem a deixar enganar pelos partidos'. Constatamos agora que foram os Independentes por Tomar que realmente enganaram os cidadãos. De independentes passaram a Dependentes do Partido Socialista depois de mais de uma década a professar as virtudes dos movimentos independentes e, mais recentemente, a criticar duramente a governação do PS. Recordamos expressões de Pedro Marques como 'Anabela Freitas é tempo perdido' ou 'Mudança foi para pior'”, acusa a concelhia do PSD de Tomar em comunicado enviado à comunicação social.

As críticas referem que o facto do IpT justificar esta “cambalhota” política com uma alteração no gabinete de apoio à presidência – a saída de Luís Ferreira da câmara municipal no início de 2016 – é “desviar a atenção do que realmente importa: a governação socialista do município de Tomar mantém-se inalterada desde 2013 (…) Certamente que a população não poderá compreender tamanha inversão de posição de um grupo que se dizia independente quando na verdade renegam todos os princípios e valores que diziam defender durante anos, assim como o 'vale tudo' do Partido Socialista que tenta através de estratagemas políticos alcançar o resultado eleitoral que não conseguiram em quatro anos de governação autárquica”, considera o PSD de Tomar, acrescentando que esta união em nada afecta a estratégia que o PSD está a delinear para Tomar.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1653
    28-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo