Política | 07-11-2018 08:33

Salvaterra de Magos mantém orçamento para 2019 em 12,5 milhões de euros

O município irá manter os apoios financeiros e logísticos aos clubes, associações, instituições particulares de solidariedade social.

A Câmara de Salvaterra de Magos aprovou o orçamento para 2019, no valor de 12,5 milhões de euros, sensivelmente igual ao que vigorou nos dois últimos anos.

O município afirma que o Orçamento, Grandes Opções do Plano e Plano Plurianual de Investimentos para o ano 2019 foi aprovado com os votos da maioria socialista e o voto contra do Bloco de Esquerda.

O presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, Hélder Esménio, sublinhou que se mantém “fiel à ideia de que não é possível prometer tudo a todos”, pelo que o orçamento segue a linha de preocupação com uma gestão que permita chegar ao fim do mandato sem aumentar a dívida municipal.

O comunicado adianta que o orçamento, que será ainda submetido à Assembleia Municipal, “mantém o esforço da autarquia de uma baixa taxação ao nível dos impostos municipais, nomeadamente com um IMI de 0,35, bem abaixo do limite legal, e uma derrama de taxa 0 para as micro e pequenas empresas e de 1%, uma redução de 33% em relação ao limite legal, para as empresas com volume de negócios superior a 150 mil euros”.

O município irá manter os apoios financeiros e logísticos aos clubes, associações, instituições particulares de solidariedade social e juntas de freguesia e reforçará as verbas para os Bombeiros Municipais para assegurar o pagamento das mensalidades da nova ambulância e para o seguro e despesas de manutenção da nova ambulância INEM.

Na despesa, as grandes fatias vão para a recolha e tratamento de resíduos e a higiene pública, as despesas com pessoal, a iluminação pública e ampliação da rede existente, a acção social, o turismo e as actividades económicas, a educação e a acção social escolar, a cultura e o desporto, adianta a nota.

O município destaca a preparação de candidaturas a fundos comunitários para a requalificação urbanística da aldeia do Escaroupim, a reabilitação da Escola Primária “O Século”, em Salvaterra de Magos, e a criação de vias pedonais na EN114-3, na Várzea Fresca, entre outras.

O Bloco de Esquerda justificou o voto contrário com o facto de a maioria socialista ter recusado “ouvir as propostas da oposição”, nomeadamente no sentido da “redução da taxa de IMI e uma maior devolução de IRS aos contribuintes, e assim reduzir o esforço fiscal e contribuir para a superação da austeridade aos munícipes”, e por entender que continua a não existir uma visão estratégica para o concelho.

O executivo municipal de Salvaterra de Magos integra cinco eleitos do PS (52,5%) e dois do BE (22,5%). O concelho tem 22.159 habitantes e quatro freguesias.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo