Política | 30-06-2020 09:00

Autarcas de Alpiarça adormecidos pela pandemia

Autarcas de Alpiarça adormecidos pela pandemia

Contas do município passaram pela assembleia municipal como cão por vinha vindimada e sem votos contra. Longe vão os tempos em que as sessões eram uma arena de feroz luta política.

A Assembleia Municipal de Alpiarça reuniu pela primeira vez em tempo de pandemia, na sexta-feira, 26 de Junho, no auditório da Casa dos Patudos, numa sessão que decorreu em tom morno e sem debate político. Longe vão os tempos em que as sessões decorriam num ambiente de guerrilha verbal entre as várias bancadas. Desta vez, as contas do município referentes a 2019 passaram sem grandes reparos e sem votos contra, num serão de letargia.

O comunista João Osório substituiu Fernando Rodrigues Louro como presidente da mesa da assembleia, por motivos de doença deste e não teve grandes problemas na condução dos trabalhos. A Câmara de Alpiarça terminou o ano de 2019 com um resultado líquido positivo de cerca de 133 mil euros, um resultado que para o executivo comunista reflecte a “boa gestão” e o “equilíbrio” com que se tratam os dinheiros públicos.

O deputado socialista, Joaquim Rosa do Céu, que já foi presidente da câmara, foi o único a questionar o executivo sobre o item da dívida de terceiros à câmara municipal. A câmara tem cerca de um milhão de euros para receber, sendo a maior devedora a Agroalpiarça, com uma dívida que ronda os 194 mil euros há “dezenas de anos”, explicou o vereador João Pedro Arraiolos.

O relatório de contas foi aprovado por maioria com seis abstenções – 5 do PS e 1 da coligação Muda Alpiarça (PSD/CDS/MPT) - e 8 votos a favor da CDU. Do documento apresentado foi ainda sublinhada a redução da dívida municipal em 7 milhões de euros, que tem vindo a ser sucessiva desde 2010. “Neste momento estamos 2 milhões e 700 mil euros abaixo do nível de endividamento permitido, temos uma folga orçamental e por esse motivo foi levantado o estado de saneamento financeiro, podendo agora candidatarmo-nos a apoios financeiros europeus”, enquadrou ainda o vereador comunista.

Os deputados foram também parcos nas questões colocadas ao executivo no Período Antes da Ordem do Dia (PAOD). Da reunião saiu a informação oficial, de que aliás já se estava à espera, da não realização da Alpiagra e do Festival do Melão. Outro dos temas abordados foi a abertura das piscinas municipais descobertas ainda sem data oficial para reabrir ao público.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo