Política | 17-10-2020 07:00

Ceia da Silva ganha CCDR do Alentejo e Teresa Almeida vence em Lisboa

Ceia da Silva ganha CCDR do Alentejo e Teresa Almeida vence em Lisboa
POLÍTICA
António Ceia da Silva. Teresa Almeida. Isabel Damasceno

Ceia da Silva vai liderar entidade que gere os fundos comunitários para a Lezíria do Tejo. Nas Comissões de Coordenação Regional de Lisboa e Vale do Tejo e do Centro, Teresa Almeida e Isabel Damasceno mantêm-se no lugar.

O até agora presidente da Entidade de Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, ganhou as eleições para a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Alentejo, a única em que havia mais do que um candidato a sufrágio. Ceia da Silva obteve 512 votos, contra 418 do opositor Roberto Grilo, até agora presidente da CCDR Alentejo. Votaram 1.185 dos 1.288 eleitores inscritos, entre presidentes de câmara, vereadores e eleitos das assembleias municipais. Refira-se que a CCDR do Alentejo é a entidade que gere os fundos comunitários para os municípios da Lezíria do Tejo.

Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo desde 2008, Ceia da Silva, de 57 anos, é licenciado em Turismo, área em que também tem um mestrado e é actualmente doutorando no Instituto de Gestão do Ordenamento do Território.

Na CCDR de Lisboa e Vale do Tejo – a que administrativamente pertence o distrito de Santarém – Teresa Almeida foi a única candidata a presidente, sendo portanto reconduzida no cargo. A antiga autarca de Setúbal terá como vice-presidentes Joaquim Sardinha (eleito) e o ex-vereador da Câmara de Ourém, José Alho (nomeado pelo Governo).

Maria Teresa Mourão de Almeida já ocupava a liderança da CCDR de Lisboa e Vale do Tejo desde Julho de 2019, quando substituiu no cargo João Pereira Almeida, que chegou ao fim do seu mandato e tinha sido nomeado no Governo de Pedro Passos Coelho. Regressou na altura a uma função que já conhecia desde Fevereiro de 2010 quando ocupou o cargo de presidente durante dois anos.

A presidente da CCDR LVT foi Governadora Civil do distrito de Setúbal e ex-autarca na câmara municipal pelo Partido Socialista. Teresa Almeida é arquitecta de profissão e, entre outros cargos, dirigiu o Departamento do Urbanismo da Câmara Municipal de Lisboa. Antes de regressar à CCDR desempenhava o cargo de gestora do Programa Mar 2020, que tem como objectivo implementar em Portugal as medidas de apoio enquadradas no FEAMP - Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas. Também na CCDR do Centro, entidade que gere os fundos comunitários para a sub-região do Médio Tejo, Isabel Damasceno continua a liderar essa estrutura, após ter protagonizado a única candidatura ao cargo.

Na terça-feira, 13 de Outubro, mais de 10.000 autarcas foram chamados a eleger pela primeira vez, através de colégios eleitorais regionais, os cinco presidentes das CCDR, que eram até agora nomeados pelo Governo. Os candidatos eram seis, um por cada uma das estruturas, à excepção da do Alentejo, que tinha dois candidatos.

Foi também eleito um vice-presidente para cada CCDR, continuando o Governo a nomear o outro. Apesar de ser formalmente uma eleição, a maioria dos candidatos resultou de um acordo entre o Governo e o líder da oposição, Rui Rio, e o sistema não é consensual. As CCDR são serviços desconcentrados da Administração Central, dotados de autonomia administrativa e financeira, incumbidos de executar medidas para o desenvolvimento das respetivas regiões, como a gestão de fundos comunitários.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1478
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1478
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo