Política | 29-10-2020 07:00

Governo questionado sobre extração de areia junto à ponte Salgueiro Maia

Deputada do partido ecologista Os Verdes perguntou ao Ministério do Ambiente se essa actividade está licenciada.

O partido ecologista Os Verdes questionou o Governo se existe licença para a extração de areia do rio Tejo junto à ponte Salgueiro Maia, em Santarém, e qual a duração da mesma. Além disso, pretende saber se têm sido avaliados os impactos dessa actividade sobre as alterações ao perfil do rio Tejo e se têm sido realizadas vistorias submarinas de avaliação aos pilares da ponte.

As questões foram enviadas pela deputada dos Verdes Mariana Silva, que questionou ainda o Ministério do Ambiente sobre o assoreamento do rio Tejo, de Abrantes até ao estuário.

O prolongamento de licenças para a extração de inertes por longos períodos “é já por si uma situação problemática”, diz o partido em comunicado de imprensa, agravada quando se localiza junto a pilares de pontes. “Estudos comprovaram que a onda de extração se faz sentir numa distância de quatro quilómetros a montante e a jusante do local, pelo que devem ser afastados, no mínimo esta distância das estruturas”, refere ainda.

Os Verdes apontam que existe uma extração de areias na margem direita do rio, há mais de 10 anos, “que vai agravando e aprofundando o canal junto a esta margem, enquanto os inertes se acumulam na margem oposta, criando uma pressão diferenciada do caudal sobre os pilares da ponte e consubstanciando um verdadeiro risco”.

Os Verdes verificaram no terreno, que na maioria das vezes, a “lagarta” e a bomba de sucção dos inertes estão dispostas de margem a margem, ocupando todo o canal de água, impedindo qualquer embarcação de passar seja de lazer ou de pesca.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1491
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1491
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo