Política | 12-10-2021 16:46

Pilares da governação CDU em Benavente ganham força a reboque do PS

Pilares da governação CDU em Benavente ganham força a reboque do PS

Comunistas perderam a maioria na Câmara de Benavente e piscaram o olho aos socialistas. O acordo para uma solução à esquerda está prestes a ser fechado debaixo de duras críticas dos vereadores da oposição que estão a dias de cessar funções.

O acordo com o Partido Socialista para conferir estabilidade à governação da CDU em Benavente, no próximo mandato autárquico, está praticamente selado. Uma semana e meia depois de o presidente do município, Carlos Coutinho ter perdido nas eleições autárquicas a maioria absoluta com a qual a CDU se habituou a governar, ganha força uma aliança à esquerda, nada provável até agora, tendo em conta a relação entre os dois partidos nos últimos oito anos. Mas com um PS renovado e com um novo candidato, o improvável pode afinal ser realidade.

As conversações entre os dois partidos marcaram a última semana, já depois de o único vereador eleito pelo PS, Joseph Azevedo, ter dito a O MIRANTE que estava disponível para aceitar o acordo caso essa solução fosse benéfica para o concelho. Questionado sobre o acordo entre os dois partidos, Carlos Coutinho optou por não dar grandes certezas, dizendo apenas que “o que vier a acontecer será para servir os superiores interesses da nossa população”.

A declaração foi feita na última reunião do executivo camarário eleito para o mandato 2017/2021, em resposta aos seus opositores políticos. “São questões que a seu tempo falaremos delas”, vincou o presidente do município, acrescentando que a CDU continua a estar disponível para acolher boas propostas para o concelho vindas de outros partidos.

O vereador eleito pelo PS no mandato que termina daqui a dias, Pedro Pereira, entrou em cena para avisar que esta "geringonça anunciada” tem tudo para correr mal.

Também o vereador do PSD Ricardo Oliveira, que se despediu do cargo na reunião de câmara, criticou a “geringonça invertida” entre o PS e CDU, que o “eleitorado não consegue compreender”.

*Notícia desenvolvida na próxima edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...