Política | 27-03-2023 13:41

Chega quer que se volte a ler “notável” na bandeira de Vila Franca de Xira

Proposta foi chumbada pelo PS e pela CDU. Barreira Soares quis iniciar discussão pública sobre o regresso da designação Notável Vila Franca de Xira ao invés do que hoje existe: Cidade de Vila Franca de Xira.

Foi chumbada, na última semana em reunião de Câmara de Vila Franca de Xira, uma proposta do Chega para que voltasse a ser adoptada na bandeira do concelho a palavra “notável” ao invés de “cidade”, como acontecia com o brasão aprovado em 1923.

A proposta pedia que fosse pedido um parecer à Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses, sobre a possibilidade de voltar a ser adoptado o termo “notável” na bandeira e que, mediante o parecer recebido, fosse iniciada uma discussão pública com a comunidade sobre o regresso daquele termo à bandeira do concelho.

O objectivo, explicou Barreira Soares, vereador do Chega, era incluir todos os fregueses do concelho na bandeira e não apenas a cidade de Vila Franca de Xira, como hoje acontece. “Em vez de cidade passarmos a ter, sim, a notável Vila Franca de Xira, que é um orgulho para todos nós”, frisou. A proposta acabou chumbada com os votos contra do PS e da CDU e os votos favoráveis da coligação Nova Geração (PSD/PPM/MPT) e Chega. A palavra notável saiu do brasão e bandeira em Fevereiro de 2001 depois de uma alteração proposta pela câmara e aprovada em assembleia municipal, onde também as cores a vermelho e branco da bandeira passaram a ser triangulares e o brasão passou a ter cinco torres em vez de quatro. “É este brasão e bandeira que representam todo um concelho que é distinto em toda a sua área, com diferentes histórias e passados, mas sob um território comum que é Vila Franca de Xira enquanto concelho” e não apenas como cidade, refere a proposta.

O PS, pela voz de Manuela Ralha, justificou o voto contra com o parecer vinculativo já emitido em 2001 pela comissão de heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses, que analisou de antemão a questão e porque, não sendo vila, já não se aplicava a carta de lei que o tinha definido inicialmente em 1923. “É segundo a lei e as regras científicas da heráldica e da vexilologia o ordenamento que o município estabeleceu e agora usa. Votámos contra a proposta porque conceptualmente não é perceptível como do ponto de vista heráldico e simbólico incluir o título de notável torna a bandeira mais inclusiva”, explicou. Os socialistas defendem que alterar a bandeira é disruptivo da lei e que voltar a pedir um parecer é redundante.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo