Política | 09-04-2023 15:00

Inês Barroso despediu-se da Câmara de Santarém

Inês Barroso despediu-se da Câmara de Santarém
EDIÇÃO SEMANAL
Inês Barroso (ao centro de branco) com o executivo camarário de Santarém que agora deixou oficialmente após um ano de suspensão de mandato

Ex-vice-presidente da Câmara de Santarém decidiu renunciar ao mandato e optar pelas funções de deputada à Assembleia da República. Na segunda-feira foi à reunião do executivo despedir-se dos antigos colegas e ouviram-se elogios e agradecimentos mútuos.

A vereadora da Câmara de Santarém Inês Barroso (PSD) renunciou ao mandato autárquico, após um ano de suspensão de funções, optando pelo cargo de deputada à Assembleia da República, para o qual foi eleita nas legislativas de 2022. O pedido de renúncia estava entre os temas para conhecimento na agenda da reunião do executivo de segunda-feira, 3 de Abril, mas Inês Barroso fez questão de marcar presença na sessão para deixar uma despedida emocionada, em que as lágrimas chegaram a aflorar. Agradeceu a todos os autarcas do executivo, da assembleia municipal e das freguesias com quem trabalhou na última década, deixando uma menção especial para o presidente da câmara e amigo Ricardo Gonçalves, que a desafiou para a vida autárquica.
Inês Barroso deixou ainda agradecimentos a todas as associações, colectividades e outras entidades com quem trabalhou na missão autárquica e a garantia de que continuará a dar o seu melhor em prol do concelho, da região e do país nas funções de deputada. Lançou também um apelo aos membros do executivo camarário para que “dêem as mãos” na sua tarefa porque “Santarém merece”.
Da parte do executivo não faltaram elogios e palavras de apreço, da esquerda à direita, pelo trabalho desenvolvido por Inês Barroso e também votos de felicidades nas funções políticas que desempenha na Assembleia da República. Ricardo Gonçalves agradeceu o trabalho da ex-autarca durante quase uma década e disse estar convicto que Inês Barroso vai continuar a trabalhar por Santarém e pela região.
A informação da renúncia ao mandato tinha sido divulgada dias antes por Inês Barroso nas redes sociais: “Os últimos dias não foram fáceis... tinha que decidir entre permanecer ou deixar o “meu ninho”, a minha identidade, o meu concelho... Mas a decisão está tomada: renuncio ao mandato autárquico. Não obstante existir compatibilidade no exercício de vereadora e de deputada, em condições específicas, entendo que devo exigência às funções que desempenho actualmente e que a complexidade da actividade autárquica justifica a acção de vereadores com pelouros e em permanência, no cumprimento de todas as funções da autarquia com celeridade e empenho”.
A deputada do PSD acrescenta que “com espírito de missão e na salvaguarda do interesse público”, continuará a dedicar especial atenção ao concelho de Santarém e a direccionar a sua actividade política à população do país e, sobretudo, do distrito. “O Ribatejo é e será sempre a minha casa!”, afirma.
A ex-vice-presidente da Câmara de Santarém tinha de decidir o seu futuro até final deste mês de Março, quando se cumpria um ano de suspensão de mandato autárquico, limite máximo permitido por lei. Inês Barroso foi substituída no executivo da Câmara de Santarém pela sua companheira de partido Carmen Antunes, que assim continua em funções.

À Margem – Opinião

Uma semana que ajudou a clarificar a política escalabitana

A renúncia ao mandato da ex-vice-presidente da Câmara de Santarém, Inês Barroso (PSD), que optou pela continuidade como deputada à Assembleia da República, estende a passadeira a João Teixeira Leite, que lhe sucedeu como vice-presidente do município, para ser o cabeça de lista do PSD em Santarém nas autárquicas de 2025. E não será grande a surpresa se tiver como adversário o socialista Nuno Russo, vereador no executivo e colega de João Leite na gestão coligada da Câmara de Santarém entre PSD e PS.
Resta saber como vai ser a convivência entre ambos (os partidos e os putativos candidatos) quando começar a aproximar-se a hora das decisões e os candidatos tiverem que marcar território de forma mais vincada perante o eleitorado. A azeda troca de mimos nas redes sociais entre os presidentes das concelhias do PSD e do PS sugere que o bom ambiente político entre socialistas e social-democratas na Câmara de Santarém não se estende a outras paragens. Como aliás já se tinha constatado na última sessão da assembleia municipal. E com o andar do calendário a tendência será para piorar, até porque nos bastidores não falta gente interessada em trabalhar nisso…
João Calhaz

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo