Política | 06-01-2024 12:00

Nova Geração quer Bairros Solares a produzir electricidade barata em Vila Franca de Xira

Nova Geração quer Bairros Solares a produzir electricidade barata em Vila Franca de Xira

Proposta da coligação liderada pelo PSD foi aprovada por maioria em reunião de câmara e pode render até 100 euros por ano de poupança na factura da electricidade para os aderentes.

O município de Vila Franca de Xira aprovou a criação e adesão ao projecto “Bairro Solar” e vai agora estudar quais os melhores locais do concelho onde implantar o projecto , que visa permitir aos munícipes reduzir os custos com a sua factura da electricidade. A proposta, apresentada pela coligação Nova Geração (PSD/PPM/MPT) em reunião de câmara foi aprovada por maioria com a abstenção da CDU e o voto contra do Chega.

Um Bairro Solar é uma comunidade onde se produz e partilha energia solar renovável, com dois tipos de participantes: os produtores, que têm espaço disponível para a instalação dos painéis solares que irão produzir a energia para todos os membros do bairro e receber parte dessa energia com um desconto; e os vizinhos, que vivem próximo dos produtores e que recebem igualmente parte da energia produzida e também beneficiam de um desconto sobre essa energia.

O projecto, da EDP Comercial, tem como principal objectivo promover a criação e comercialização de energia de forma sustentável entre os diversos interessados a interagir no projecto, sobretudo a Câmara de Vila Franca de Xira, enquanto produtora, e os munícipes, associações ou negócios que se encontrem nas imediações destas instalações, enquanto vizinhos, lê-se na proposta.

A quantidade de painéis solares a instalar no bairro depende, essencialmente, do espaço disponível no produtor para a sua instalação e da existência de vizinhos na proximidade que possam receber parte dessa energia produzida. Segundo a proposta, na primeira fase do projecto, cada bairro terá apenas um produtor de energia solar e no momento da criação do bairro o número de vizinhos vai ser determinado pela quantidade de painéis solares que podem ser instalados no espaço do produtor. A energia produzida é depois partilhada entre todos os membros, sendo que o produtor beneficia de um desconto de até 50% da energia solar que consumir do bairro e tem a vantagem de todo o investimento com o fornecimento e instalação do sistema solar estar a cargo da EDP e permitir uma poupança anual estimada de 100 euros para um produtor com um consumo de 5 megawatts/hora por ano.

Na resposta à proposta o vereador com o pelouro do associativismo, João Pedro Baião, direcionou o assunto para o Plano de Acção para a Energia e Clima Sustentáveis que está em fase de conclusão onde este tipo de projecto poderia ser incluido. No entanto, desde Maio, esse plano ainda não foi apresentado pela vice-presidente que detém o pelouro do ambiente.

Segundo o município, no âmbito do fundo ambiental, o executivo também incentivou as associações do concelho a apresentarem candidaturas a comunidades de energia local, porque as câmaras não eram elegíveis. A CDU notou que a proposta deveria ser mais abrangente e não se cingir apenas à EDP Comercial, com a Nova Geração a prontificar-se a alterar esse ponto no futuro. Entretanto, no orçamento da câmara para 2024 já consta uma rubrica que transitou de 2023 para colocação de painéis solares em edifícios municipais, no valor de 150 mil euros, que tudo indica serão para consumo próprio da câmara e não para comunidades locais de energia.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1652
    21-02-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo