Política | 25-05-2024 12:00

Ambiente político em Tomar está a ferro e fogo

Ambiente político em Tomar está a ferro e fogo
Hugo Cristóvão e Tiago Carrão

O vereador do PSD acusou o presidente da Câmara de Tomar de mentir e diz que Hugo Cristóvão está obcecado com o passado. O presidente da autarquia afirma que Tiago Carrão insulta com “naturalidade” e que manipula informações.

O ambiente político entre a maioria socialista no executivo municipal de Tomar e a oposição dos três vereadores do PSD está cada vez mais tenso e tem habitualmente dois protagonistas, Hugo Cristóvão, presidente da autarquia, e Tiago Carrão, líder dos sociais-democratas no concelho. Na reunião de câmara realizada dia 13, Tiago Carrão afirmou que Hugo Cristóvão mentiu em vários números mencionados anteriormente, acusando-o de “faltar à verdade quando fala no passado”. Tiago Carrão continuou afirmando que o líder da autarquia terá algum “tipo de complexo de inferioridade” e “uma ânsia tão grande em atacar a oposição que acaba a lançar números falsos”.
Referindo-se à passada reunião de câmara, o vereador do PSD disse que o presidente da câmara afirmou por duas ou três vezes que, quando os socialistas passaram a gerir a autarquia em 2013, havia 27 empréstimos por liquidar deixados pelo PSD, número que Tiago Carrão diz ser falso. Tiago Carrão acusou ainda o presidente de ter faltado à verdade quando disse “várias vezes” que a capacidade de endividamento no final da gestão do PSD era de 900 mil euros. “Chegou a dizer que o PS tinha herdado uma dívida de 47 milhões de euros, o que é falso, o total da divida era de 30 milhões de euros”, sublinhou.
Hugo Cristóvão respondeu às acusações de forma assertiva. “As considerações que o senhor faz e os seus insultos saem com muita naturalidade. A única coisa que o senhor disse e que, efectivamente, por lapso, terei dito de errado, foi dos 47 milhões de dívida, que eram na verdade 37. Tudo o resto, o senhor, como é habitual, manipula”, disse. O presidente da Câmara de Tomar prosseguiu, afirmando que quando fala do passado é para justificar o presente e sempre em resposta a acusações do PSD.

PSD diz que PS é incapaz
O PSD de Tomar emitiu um comunicado onde afirma que “a incompetência da governação socialista ficou à vista de todos com a gestão do processo de regularização de dívidas à Águas do Vale do Tejo e à EPAL”. O partido da oposição afirma que a Câmara Municipal de Tomar tem uma dívida de cerca de dois milhões de euros às duas empresas e, em Setembro passado, aprovou, após vários anos, um Acordo e Plano de Pagamentos para regularização destas dívidas em 25 anos, num valor total aproximado de cinco milhões de euros. “No entanto, os socialistas não cumpriram o acordo nem efectuaram os pagamentos e, na reunião de câmara de 13 de Maio, voltaram a trazer o mesmo acordo e plano de pagamentos, o que resultou num custo acrescido de 600 mil euros em juros”, vincam.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo