Política | 25-05-2024 15:00

PSD vai continuar a votar contra projecto de habitações municipais

As dúvidas quanto à necessidade de construção de 100 apartamentos no documento da Estratégia Local de Habitação do Entroncamento e a falta de garantias de que serão residentes do concelho a usufruir das casas são as justificações do PSD para o chumbo da proposta da gestão socialista.

Rui Madeira, vereador do PSD na Câmara do Entroncamento, garante que os sociais-democratas vão continuar a chumbar o projecto dos 100 fogos que a gestão socialista pretende construir na cidade até haver garantias de que os apartamentos serão para residentes do concelho. O facto da Estratégia Local de Habitação do concelho não identificar a necessidade da construção das habitações é outro dos pontos que leva os vereadores a não aprovar a proposta.
Para Rui Madeira, o alargado critério de selecção por sorteio para atribuição das casas significa um risco de que a maior parte dos apartamentos poderia ser atribuído a beneficiários de fora do concelho. O vereador defende que o Entroncamento deve ser procurado pelas condições de trabalho e pela qualidade de vida e não atrair pessoas pela oferta de uma habitação.
A Estratégia Local de Habitação, aprovada durante o último mandato, em assembleia municipal, não identificou a necessidade da construção dos 100 fogos o que, para Rui Madeira gera um contrassenso. “Se a estratégia, um documento relativamente recente que foi feito por uma empresa especialista no ramo, não identifica a necessidade de construir, vamos fazer os apartamentos com base em quê? Não existe nenhum documento de suporte. E se existe essa necessidade, porque não foi identificada? É o documento que foi mal redigido ou não existe, efectivamente, a construção dessas habitações?” questiona Rui Madeira.
O social-democrata refere que, no concelho, existem 36 habitações identificadas que estão ocupadas e onde os moradores vivem sem condições condignas. Para Rui Madeira, justifica-se mais investir em habitações do concelho já com residentes do que ir construir para cidadãos de fora do Entroncamento. “As habitações podiam ser financiadas a 100 por cento pelo PRR tal como seriam estes 100 fogos. A autarquia de Abrantes concorreu ao mesmo apoio financeiro para reabilitar casas já existentes, com moradores do concelho e ainda criou um gabinete de apoio para dúvidas e necessidades dos cidadãos. No entanto, o executivo socialista preferia usar o programa de apoio financeiro para construir 100 habitações que ninguém entende porquê” remata Rui Madeira.
O social-democrata crítica a gestão socialista no concelho por não valorizar o património do Entroncamento. “O PS sempre falou de uma cidade para as pessoas. No entanto, são palavras vazias pois não tem havido vontade de valorizar a comunidade do concelho nem de reabilitar elementos do património do concelho para que as pessoas do Entroncamento tenham gosto e orgulho da cidade”, afirma.
Sobre a proposta dos 100 fogos, Rui Madeira lamenta que o PS tenha juntado à medida um subprojecto de reabilitação de 24 habitações da Rua Latino Coelho, obrigando as duas propostas a serem votadas como apenas uma. “Os projectos deviam ter sido apresentados separados. Nós somos a favor da reabilitação das 24 habitações, mas fomos obrigados a chumbar essa medida também por chumbar a construção dos 100 fogos. Entendemos isso como uma forma de chantagem e de pressionar por parte do executivo socialista”, diz.
Rui Madeira acredita que a reabilitação das 24 habitações da Rua Latino Coelho, junto à estação ferroviária do Entroncamento, são património do concelho, característico da vida ferroviária vivida por várias gerações e que iria melhor o aspecto da rua. “Há gerações que nasceram, cresceram e foram educadas ali dentro. Representa património da comunidade e faz parte da identidade do concelho. É um elemento de ligação emocional a várias pessoas do Entroncamento”, conclui.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1669
    19-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo