Saúde | 17-06-2019 12:30

A Rinossinusite aguda na criança

A Rinossinusite aguda na criança
ESPECIAL SAÚDE

Rosário Faustino - Médica Otorrinolaringologista - AudioTeste

As infecções respiratórias altas, isto é, as infecções das vias áreas superiores, constituem uma das razões mais frequentes das consultas no âmbito da Otorrinolaringologia pediátrica, em especial nos meses de Inverno.

Estas infecções são, na grande maioria dos casos, inicialmente virais mas, entre 5 a 10% evoluem para infecção bacteriana secundária, complicando-se para uma rinossinusite bacteriana aguda.

É importante um diagnóstico clínico correcto e atempado que permita evitar exames complementares desnecessários (nomeadamente exames de imagem) e que possibilite terapêutica adequada.

A eficiência da terapêutica pode não passar pela prescrição de antibiótico pois muitas vezes estas situações são autolimitadas como as rinossinusites virais.

A mucosa que reveste os seios perinasais está em continuidade com a mucosa nasal. Assim uma infecção aguda viral da via área superior provoca inflamação de todo o sistema naso sinusal.

Uma criança tem anualmente em média, seis a oito infecções respiratórias agudas virais. Existem fatores predisponentes como rinite alérgica, aumento dos adenoides ou adenoidite crónica, assim como poluição ambiental, tabagismo dos pais, não referindo outras situações mais raras e por vezes mais graves.

Não é de mais voltar a referir a necessidade da cuidadosa avaliação clínica da evolução da doença, para poder instituir terapêutica adequada de maneira a não existir evolução para doença crónica ou refratária à terapêutica.

A maioria das crianças à medida que crescem têm menos infecções das vias áreas superiores. Os 7 anos são como que um marco para esta redução.

Concluindo: É fundamental diagnosticar e tratar adequadamente estas infecções assim como corrigir os factores predisponentes já referidos, como patologia alérgica, patologia dos adenoides, factores de risco ambientais ou outros menos frequentes para que as nossas crianças passem os invernos sem complicações.

Mais Notícias

    A carregar...