uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
O ambiente acolhedor do rústico

O ambiente acolhedor do rústico

Fábrica de móveis rústicos, O Moinho de Vento, em Pernes

O estilo rústico predomina na fábrica de móveis O Moinho de Vento, localizada em Pernes. As madeiras mais utilizadas são o pinho e o castanho, mas a empresa também trabalha com cerejeira, carvalho e mogno. Não existe uma produção em série e, por isso, é o cliente que indica o que pretende aos técnicos da empresa. É um mobiliário feito por medida através de um serviço personalizado e de qualidade.

Edição de 21.01.2004 | Economia
É num show-room com 630 metros quadrados de área que está exposta parte da vasta gama de mobiliário rústico da fábrica de móveis O Moinho de Vento. O mobiliário, de linhas mais direitas ou trabalhadas, em tons mais claros ou escuros, é delineado pelo sócio gerente da empresa, Pedro Gomes. Mas é o cliente que determina o que pretende para equipar ou renovar a sua casa, podendo escolher entre conjuntos de quarto e de sala, móveis para cozinha, de hall e corredor e para a casa de banho. Mobiliário que pode ser mais ou menos artístico, consoante o gosto do cliente, que tem uma palavra decisiva na matéria. O serviço é personalizado e completo, não havendo produção em série. Por isso, Pedro Gomes convida os interessados a deslocarem-se a Pernes, “para ver o que é o mobiliário rústico e sentir a diferença de comprar na fábrica”.Desde há cerca de seis anos que a grande aposta da empresa é o mercado nacional e tem conseguido implantar-se, vendendo mobiliário de norte a sul, de que é exemplo alguns negócios realizados com clientes de Aveiro, Portimão e Sagres.Mas O Moinho de Vento, criado em 1988, começou por registar um grande impulso na actividade com um cliente inglês, de Manchester, angariado através do Instituto de Comércio Externo de Portugal (ICEP). O que permitiu a expansão da empresa nos primeiros anos de vida, num ramo de negócio tão competitivo como o do mobiliário. Os móveis rústicos eram vendidos aos ingleses em cru e, posteriormente, acabados por eles.Hoje a empresa tem sete trabalhadores, cinco dos quais na parte de fabrico de móveis, e está habilitada a equipar qualquer casa. Quando o serviço é de qualidade as notícias espalham-se entre clientes, que vão descobrindo O Moinho de Vento. Mas o marketing da empresa também é feito de outras formas, uma das quais é a presença regular em feiras do ramo. “Costumamos estar presentes na DecorMóvel, em Santarém, na ExpoCasa, na Batalha e na InterCasa, que se realiza na FIL. Mas também visito outros certames para me actualizar com as novas tendências do rústico”, refere Pedro Gomes.De momento não há grande movimentação no mercado do mobiliário devido à retracção do poder de compra e diminuição da procura de habitação. Por isso, os projectos de Pedro Gomes passam por manter a qualidade do mobiliário produzido e do serviço prestado. O Moinho de Vento situa-se em Pernes, cerca de um quilómetro depois de se entrar na EN 365-4, a caminho do Malhou.
O ambiente acolhedor do rústico

Mais Notícias

    A carregar...