uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Paulo Freilão

19 anos - Fazendense

Paulo Freilão é um jovem médio centro com bastante potencial. Começou nos escalões de formação do União de Almeirim, onde esteve até ao primeiro ano de juvenil. Na segunda época nessa categoria rumou a Alverca, de onde voltou, com 17 anos, para jogar nos seniores do União de Almeirim. A época passada esteve nos juniores do Abrantes FC e esta temporada, a primeira com idade sénior, joga no Fazendense.

Edição de 06.09.2006 | Cromos da Bola
No distrital joga-se com amor à camisola ou para ganhar umas corôas?No meu caso não jogo apenas por questões financeiras. Quero ser profissional de futebol e o meu maior desejo é evoluir para jogar numa equipa de outra dimensão. É claro que quero ajudar a equipa a ter sucesso mas não me posso esquecer de mim.Jogar num relvado ou num pelado é a mesma coisa?Não. Num pelado há menor controlo de bola e é mais difícil ter determinado tipo de jogadas como por exemplo os cortes em carrinho. Penso que quase todos os jogadores preferem o relvado natural, depois o sintético e o pelado só mesmo se não houver outra opção.Quais são os momentos que mais se recorda na sua carreira?Positivamente, a ida para o Abrantes foi um momento de grande importância. Lá talvez o melhor momento tenha sido um golo que marquei ao Alverca, a minha anterior equipa, e que foi fundamental para termos ganho esse jogo. Pela negativa saliento a saída do Abrantes porque estava a contar ficar no clube e não consegui.Tem algum truque para marcar um adversário?Estou ainda a tentar aprender alguns. O bom do distrital é que se aprendem muitos desses truques.Um bom jogador tem que saber jogar em qualquer posição?Ter jogadores capazes de jogar em várias posições é sempre bom para uma equipa. Mas há jogadores que pelas suas características não podem jogar em todas as posições. Penso que há lugar para todos.Custa muito deixar de fazer outras coisas para jogar ao domingo?Para mim não custa nada. Os treinos são muito importantes e raramente falto a um. Só mesmo se não puder. Já faltei a casamentos para ir jogar e ainda há dias fui com a minha namorada para o Algarve e só lá estive um dia porque no dia seguinte tinha jogo e vim para cima.

Mais Notícias

    A carregar...