uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Entusiasmo no regresso a casa dos Amadores da Chamusca

Entusiasmo no regresso a casa dos Amadores da Chamusca

Nem um corte de energia de duas horas fez esmorecer os aficionados

O cabo dos forcados amadores da Chamusca ficou contente com o apoio que sentiu da população.

Edição de 06.09.2006 | Cultura e Lazer
O Grupo de Forcados Amadores da Chamusca não podia sentir melhor apoio no regresso à praça da vila onde não actuava há duas temporadas. A corrida nocturna de sexta-feira tinha começado há pouco tempo quando uma avaria num posto de transformação deixou parte da Chamusca às escuras. O público aguentou na praça durante duas horas até a energia ser restabelecida. Nem a espera fez esmorecer a emoção, com a plateia a aplaudir entusiasticamente as boas pegas do grupo. A corrida estava a correr bem para o grupo que já tinha feito uma excelente pega com o cabo dos forcados, Nuno Marques, a aguentar-se bem na cara do toiro que tinha sido lidado por Luís Rouxinol. Cavaleiro que fez uma actuação muito aplaudida. Já estava José Manuel Duarte em praça a preparar-se para cravar o primeiro comprido quando as luzes se desligam. Ao fim de algum tempo arranjou-se um gerador emprestado para alimentar a aparelhagem de som e um holofote que permitiu que os fadistas João Chora e Helena Leonor entretivessem o público.O director da corrida já tinha chamado os toureiros e estava a começar uma reunião para se decidir o adiamento do espectáculo quando as luzes voltam a acender-se. Nuno Marques e o grupo que comanda voltaram a recuperar o entusiasmo. “Vamos a isto rapazes. Força!” incentivou o cabo. E os forcados corresponderam com excelentes pegas à primeira protagonizadas por Nuno Marques, Emanuel Injoi, Nuno Marecos e Nuno Torrado. José Henrique pegou à segunda e Francisco Redol à terceira. Mas o público que quase enchia a praça voltou a brindar o grupo com fortes aplausos. No final da corrida o cabo Nuno Marques não escondeu o seu contentamento pelo apoio que o público manifestou. “Foi bom ver que as pessoas persistiram na praça até ser restabelecida a electricidade. Gostei de ver o entusiasmo do público quando as luzes voltaram a acender-se”. Recorde-se que o grupo tem dificuldades em arranjar contratos porque não faz parte da Associação Nacional de Forcados. O que faz com que não possam actuar em corridas em que participem grupos filiados nesta agremiação. Os toiros de Ernesto de Castro proporcionaram boas lides e boas pegas sem complicarem muito. Os cavaleiros fizeram lides razoáveis e muito aplaudidas. Luís Rouxinol esteve muito bem na primeira actuação puxando o toiro com o cavalo e cravando bons ferros. José Manuel Duarte esteve mais apagado sentindo algumas dificuldades em lidar o seu primeiro toiro, mas melhorou no segundo. Ana Batista, tirando uma queda por o cavalo ter escorregado, fez duas lides aceitáveis embora alguns ferros tenham ficado descaídos.
Entusiasmo no regresso a casa dos Amadores da Chamusca

Mais Notícias

    A carregar...