uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante

Semana de emoções fortes para Silvino Sequeira

Autarca sofre enfarte na semana em que se conhece abandono da Câmara de Rio Maior

Após 18 anos de vida autárquica, vai para gestor do Programa Operacional do Alentejo.

Edição de 12.09.2007 | Política
O susto maior já passou mas o ainda presidente da Câmara Municipal de Rio Maior foi aconselhado pelos médicos a repousar durante mais alguns dias. Silvino Sequeira (PS) sofreu no sábado "um princípio de enfarte" e foi internado no Hospital de Santa Marta, em Lisboa, de onde deve ter alta esta semana. O autarca foi submetido a uma angioplastia coronária e, segundo comunicado da autarquia emitido na tarde de terça-feira, a sua situação “é estável e com uma evolução favorável”. Segundo a mesma fonte, Silvino Sequeira ficou muito sensibilizado com as manifestações de apoio que recebeu garantindo que “tudo não passou de um susto” e que promete “voltar ainda com mais força”.Silvino Sequeira foi eleito no dia 6 de Setembro representante dos autarcas para o conselho executivo do Programa Operacional do Alentejo. Quando for formalizada a sua nomeação para esse cargo, o autarca terá de abandonar a presidência da Câmara Municipal de Rio Maior, sendo substituído pelo seu número dois, Carlos Alberto Nazaré. Silvino Sequeira liderava o executivo desde 1989 sendo um dos autarcas mais emblemáticos da região. Esta alteração abriu a hipótese da atleta Susana Feitor, o nome seguinte na lista do PS, poder ocupar o lugar de vereadora na Câmara de Rio Maior. Contactada pela Lusa, Susana Feitor afirmou que esta situação era "inesperada", encarando como "muito difícil" poder vir a desempenhar o lugar de vereadora devido aos compromissos que assumiu no projecto olímpico.O Programa Operacional do Alentejo integra cinco NUT II (unidades territoriais para fins estatísticos) - Alentejo Litoral (que inclui quatro concelhos do distrito de Setúbal), Baixo Alentejo (distrito de Beja), Alto Alentejo (distrito de Portalegre), Alentejo Central (distrito de Évora) e, a partir deste quadro comunitário de apoio, a Lezíria do Tejo (10 municípios do distrito de Santarém e um de Lisboa) -, num total de 58 municípios.A comissão executiva do Programa Operacional do Alentejo será presidida pela presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, Maria Leal Monteiro, integrando quatro vogais, dois executivos (um representante dos autarcas e outro do Governo) e dois não executivos, tendo, neste caso sido eleito o autarca do Redondo, Alfredo Barroso, com 30 votos.Silvino Sequeira, 58 anos, não escondeu a sua satisfação por ter recebido apoios de "todos os quadrantes políticos", assegurando que se irá bater pelos interesses "do conjunto de 58", como já deu "prova" tanto na direcção da ANMP como quando foi governador civil do distrito de Santarém.Das 58 autarquias que integram a CCDR do Alentejo, 28 são PS, 20 da CDU, sete do PSD, uma do Bloco de Esquerda e duas independentes. Além dos apoios da Lezíria do Tejo (que conta com sete autarquias do PS, duas da CDU, uma do PSD e outra do Bloco de Esquerda), Silvino Sequeira terá contado ainda com os votos dos concelhos alentejanos de maioria socialista.Licenciado em História, foi professor até enveredar pela vida autárquica. Sportinguista militante, devorador de livros e jornais e exímio contador de anedotas, faz da boa disposição uma imagem de marca. Ao longo da carreira política desempenhou ainda os cargos de governador civil de Santarém e de deputado do PS à Assembleia da República.

Mais Notícias

    A carregar...