uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Junta do Couço contra integração de escola básica integrada da freguesia em agrupamento de Coruche

Junta do Couço contra integração de escola básica integrada da freguesia em agrupamento de Coruche

Distância à sede de concelho e desconhecimento da realidade da freguesia são argumentos expostos
Edição de 28.07.2010 | Sociedade
A Escola Básica Integrada/Jardim-de-Infância (EBI/JI) do Couço vai ser integrada no agrupamento de escolas Educor, com sede em Coruche, contra a vontade da Junta de Freguesia do Couço. A junta emitiu um comunicado à população onde manifesta o seu protesto contra a intenção do Ministério da Educação. Para a Junta do Couço a integração da EBI/JI no agrupamento Educor – que a partir de 1 de Agosto irá ser integrado na Escola Secundária de Coruche e ficará sob gestão comum - representa uma gestão à distância, que impede uma resposta localizada e atempada aos problemas, acarretando formalismos, atrasos e desumanizando a escola.“O Couço está a mais de 25 quilómetros de Coruche. A escola tem apenas oito anos, tem boas condições e não se justifica a inclusão num agrupamento distante, desconhecedor da realidade socio-económica da freguesia”, justifica Luís Alberto Ferreira (CDU), autarca do Couço.Em reacção à posição da junta de freguesia, a ainda presidente do Agrupamento Educor diz que a integração da EBI/JI do Couço é inevitável e emanada superiormente. Manifestando-se a favor da gestão vertical das escolas, Fátima Bento critica no entanto a resolução de Conselho de Ministros de 30 de Junho, que faz entrar em vigor a criação de mega-agrupamentos, que considera um processo imposto e autodirigido. “No caso do Couço, trata-se de situação particular do concelho, com uma história que não se ignora mas que, se calhar, a escola só se construiu para responder a uma reivindicação”, analisa.O assunto foi levado a reunião de câmara, onde o presidente, Dionísio Mendes (PS), considerou positivo que se crie um modelo pedagógico que faça a gestão escolar, desde jardim-de-infância até ao 12.º ano. “Há salas de aulas livres na escola secundária enquanto na EB 2/3 estão a abarrotar. Há vantagens na gestão conjunta e a escola do Couço terá um coordenador local que responderá ao conselho directivo escolhido para o agrupamento”, exemplificou o autarca, professor de profissão.O vereador da CDU, Rodrigo Catarino, considerou que a distância é muitas vezes um problema para os intervenientes escolares e ter um agrupamento sedeado em Coruche poderá ser menos valorizado para quem decide.
Junta do Couço contra integração de escola básica integrada da freguesia em agrupamento de Coruche

Mais Notícias

    A carregar...