uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Encontro de poetas populares do Ribatejo perdeu gás após a paragem

Encontro de poetas populares do Ribatejo perdeu gás após a paragem

Depois de três anos de interregno, os poetas populares do Ribatejo tiveram a oportunidade de se reunir uma vez mais em Samora Correia. Este ano apenas apareceram 12, tendo em tempos já chegado aos 70 participantes.

Edição de 04.03.2015 | Cultura e Lazer
Após três anos de interregno, alguns poetas populares do Ribatejo voltaram a reunir, pela décima primeira vez, em Samora Correia, no dia 28 de Fevereiro. A crise e a falta de verbas foram as causas apontadas para a suspensão destes encontros, promovidos por Domingos Lobo, através do gabinete de cultura da Câmara de Benavente, mas a paragem não fez bem à dinâmica do evento. Este ano apareceram no auditório do Palácio do Infantado apenas 12 declamadores de poesia, quando em edições anteriores já chegaram às sete dezenas de participantes. Mas as vozes não se calaram e as declamações foram dignas dos grandes palcos. Como dizia um dos presentes, eram “poucos mas bons”.Joaquim Agostinho, poeta e pessoa dedicada ao associativismo em Alverca, foi um dos presentes e não perdeu a oportunidade para dizer que “esta é a melhor forma de os poetas populares trocarem experiências e poderem evoluir na escrita”. É poeta desde os 12 anos e foi com um avô que começou a desenvolver os primeiros versos. Diz que se inspira em tudo, mas os relógios de sol, as vidas e costumes do povo, e a Batalha de Alfarrobeira foram, até ao momento, grandes fontes das suas ideias e pensamentos. Aposentado da Força Aérea, é ainda adepto do teatro amador e não há um dia que passe sem pensar nos seus poemas.Piedade Salvador, nascida e criada em Samora Correia, pessoa activa na organização de festas de beneficência, adere a estes encontros desde o primeiro momento. Começou a escrever poemas ainda em criança e é das poetisas populares mais conhecidas da região. “Adoro escrever e não há um dia que passe sem o fazer, participo cem concursos e também já ganhei alguns prémios”, afirmou com muito orgulho.Domingos Lobo garantiu a O MIRANTE que estes encontros são para continuar e que irão realizar acções de dinamização ao longo deste ano para que no próximo a plateia possa estar, uma vez mais, cheia e sem tempo de todos subirem ao palco para partilharem alguns dos versos que escrevem e declamam com tanto prazer e amor às tradições populares.
Encontro de poetas populares do Ribatejo perdeu gás após a paragem

Mais Notícias

    A carregar...