uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Presidente da Câmara de Santarém acusa o seu partido de o querer fragilizar

Presidente da Câmara de Santarém acusa o seu partido de o querer fragilizar

Lutas internas no PSD agravaram-se nos últimos tempos

Ricardo Gonçalves diz que está montada uma estratégia para o prejudicar e acusa a direcção local do PSD, liderada pelo deputado Nuno Serra, de usar a mentira e a má-fé como armas no combate político. Na origem do litígio está a suspensão de uma assembleia de militantes do PSD, por alegada falta de comparência do autarca, situação que não se verificou.

Edição de 04.03.2015 | Sociedade
O presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), diz que alguns dirigentes locais do seu partido têm “uma estratégia clara” que visa fragilizá-lo politicamente e acusa a concelhia social-democrata, liderada pelo deputado Nuno Serra, de agir com “má fé” e de o desrespeitar bem como a outros militantes que são autarcas no concelho. “Não sei com que propósito político ou pessoal, o que era aparente, tornou-se agora evidente. Há uma estratégia clara de alguns militantes do PSD local de tentativa de fragilizar o militante Ricardo Gonçalves, actual presidente da Câmara Municipal de Santarém, legitimamente eleito pelos munícipes. Uma vitória em condições muito adversas, que muitos desejaram dentro do nosso partido, mas que outros, pelos vistos, nem por isso”, diz o autarca em comunicação dirigida aos militantes e a que O MIRANTE teve acesso.Na origem da desavença está o facto de a última assembleia concelhia de militantes ter sido suspensa por, alegadamente, Ricardo Gonçalves não estar presente para debater questões relacionadas com a actividade do executivo camarário. Justificação que, segundo o autarca, não corresponde à verdade, pois já se encontrava presente na sala quando se discutia a situação política concelhia, tendo assistido à suspensão dos trabalhos e tentado evitar que o presidente da mesa da assembleia, José Gandarez, tomasse essa atitude. “Deste modo, só por manifesta má fé e claro propósito de desinformar, se pode referir que não estive presente e que não justifiquei a minha ausência”, diz o autarca.Na sequência desse episódio, a concelhia do PSD emitiu um comunicado aos militantes onde pedia desculpa pelo imprevisto e atribuía responsabilidades a Ricardo Gonçalves. “Por decisão unânime dos militantes presentes foi o plenário interrompido às 23h15 devido à ausência, não fundamentada do militante do PSD, Ricardo Gonçalves, primeiro eleito do partido na lista encabeçada à Câmara de Santarém e de todos os restantes militantes eleitos para os órgãos autárquicos, excepção feita à vereadora Inês Barroso que comunicou a sua impossibilidade”, referia a mensagem de Nuno Serra, que é também líder distrital do partido.A concelhia do PSD escalabitano acrescentava que “os militantes presentes na reunião tinham questões e propostas a apresentar ao executivo autárquico” e que “a ausência de todos os seus representantes impediu tal objectivo”. A situação foi também criticada pela estrutura concelhia da Juventude Social-Democrata (JSD), que apoiou a decisão de suspender os trabalhos e critica Ricardo Gonçalves por ter chegado atrasado.Ricardo contra-atacaA resposta de Ricardo Gonçalves não se fez esperar, acusando a concelhia do PSD de mentir. “Tinha um compromisso assumido há cerca de duas semanas que me impossibilitava de estar à hora agendada. Desse facto, dei conhecimento ao presidente da comissão política, referindo que chegaria mais tarde. Cheguei cerca das 22h45, pouco mais de uma hora depois de o mesmo ter começado, e quando estavam agendados diversos pontos que julguei poderem merecer algum debate”, alega, sublinhando que “não havia qualquer ponto especificamente agendado sobre a autarquia”.E conclui: “Não estou escondido em escritórios ou gabinetes em Lisboa. Não venho apenas dormir a Santarém, nem cá venho trimestralmente dirigir trabalhos. Fui eleito por milhares de pessoas em Santarém, governo para todos os que aqui residem, e a minha porta e o meu telefone estão sempre acessíveis para todos os militantes que me queiram contactar, expor ideias, reclamar ou apoiar”.O afastamento entre a actual concelhia do PSD e Ricardo Gonçalves já vem pelo menos desde as últimas eleições autárquicas, quando alguns apoiantes de Ricardo aludiram a um suposto pouco empenho da estrutura partidária na campanha eleitoral. A cisão agravou-se nas eleições para a distrital do PSD, em que Ricardo Gonçalves apoiou Isaura Morais, candidata derrotada por Nuno Serra.
Presidente da Câmara de Santarém acusa o seu partido de o querer fragilizar

Mais Notícias

    A carregar...