uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Vilafranquense ainda sem treinador para a próxima época

Vilafranquense ainda sem treinador para a próxima época

Luís Brás conduziu a equipa à vitória da liga Pró-Nacional da Associação de Futebol de Lisboa mas não fica para a próxima época. Equipa foi recebida na Câmara de Vila Franca de Xira em clima de euforia.

Edição de 08.06.2016 | Desporto

A SAD da União Desportiva Vilafranquense (UDV) ainda não encontrou um treinador para a época 2016/2017 em que a equipa de futebol vai competir no Campeonato de Portugal. O treinador Luís Brás não chegou a acordo com a SAD para a renovação do contrato para a próxima época, mas conduzirá o clube na final da supertaça da Associação de Futebol de Lisboa (AFL) a realizar esta sexta-feira, 10 de Junho. O jogo é às 17h00 no Estádio Francisco Lázaro, em Benfica (Lisboa), contra o Clube Futebol Santa Iria, de Santa Iria da Azóia (Loures), que ganhou a Taça da AFL no dia 5 de Junho.
Apesar de Luís Brás deixar a UDV, a sua equipa técnica, Quinzinho e Bruno Fernandes, continuarão ao serviço do Vilafranquense como afirmou a O MIRANTE o representante da Eurofoot BV, Pedro Torrão.
Festa do campeão encheu a câmara e a praça
Foi em ambiente de festa que o Vilafranquense foi recebido na câmara municipal para a cerimónia oficial de entrega da taça de campeão da Pró-Liga Nacional. Na tarde de 1 de Junho, quando marcavam poucos minutos depois das 18h00 e 34 graus nos termómetros, chegaram à Praça Afonso de Albuquerque os primeiros elementos da equipa que já eram esperados por algumas dezenas de adeptos da UDV, entre eles, representantes da claque Piranhas do Tejo.
Os administradores da Eurofoot BV, empresa de agenciamento de jogadores que construiu a SAD do Vilafranquense em 2013, foram os primeiros a chegar quando já no salão nobre se encontravam os elementos do executivo camarário. Rodolfo Frutuoso, Pedro Torrão e Raul Monteiro chegaram ao mesmo tempo que o presidente da assembleia geral da Associação de Futebol de Lisboa, Carlos Teixeira, com quem trocaram abraços e cumprimentos, seguindo para o interior dos paços do concelho à espera das estrelas da tarde.
E assim que chegaram os primeiros jogadores os aplausos fizeram-se ouvir. A comitiva seguiu logo para dentro do edifício da câmara mas não deixou de acenar às dezenas de apoiantes que vieram apoiar o seu clube. O salão nobre aguardava pela cerimónia já com alguns minutos de atraso.

As palavras do reconhecimento
Lá dentro, o presidente da SAD da UDV foi o primeiro a discursar. “Há muito que sonhamos com este dia. Conseguimos o objectivo com muito esforço e dedicação e o Vilafranquense está de novo no futebol nacional”, afirmou Rodolfo Frutuoso que deixou uma palavra aos adeptos, aos sócios, à formação e aos pais que ajudaram no percurso.
Frutuoso acrescentou ainda que pretende trazer mais alegrias à cidade e sublinhou que o projecto de subida foi conseguido em três anos quando estava planeado para cinco anos, algo que também o presidente do clube sublinhou. Francisco Beirolas agradeceu o apoio da câmara e mostrou-se “duplamente orgulhoso”, enquanto dirigente e pelo projecto que abraçou com a criação da SAD. Este dirigiu ainda palavras de crédito à Eurofoot por ter devolvido o clube à cidade. E sobre o futuro Beirolas disse ainda que “o limite é o céu: poderemos estar numa segunda versão do Leicester português, de Vila Franca de Xira!”, exclamou.
O presidente do município de Vila Franca de Xira sublinhou o seu orgulho e satisfação em receber o clube na câmara e reforçou a ideia de continuar a trabalhar em parceria com vista ao sucesso. “Finalmente conseguiu-se aquilo que era um sonho antigo: estar num campeonato nacional”, acrescentou Alberto Mesquita que a O MIRANTE referiu que este sucesso desportivo também é bom para dinamizar a economia da cidade com a vinda de outros clube ao concelho.
Na cerimónia foi o presidente da assembleia geral da Associação de Futebol de Lisboa, Carlos Teixeira, quem entregou a taça à equipa, aplaudindo o entendimento entre o clube e a SAD. A apoteose estava perto, e a equipa e os técnicos, depois de receberem as medalhas de campeões e uma lembrança do município, seguiram até à varanda do salão nobre onde levantaram a taça perante os seus adeptos. Com flashs, bandeiras, aplausos e gritos estava consagrado o Vilafranquense, de novo nos nacionais. O caminho a seguir foi glorioso, directamente para a praça para junto da população. Houve foto da praxe nas escadas da câmara e confraternização com os adeptos que puderam também tocar na taça.

Um clube para promover e lançar jovens

Um dos representantes da administração da Eurofoot BV afirmou a
O MIRANTE que é intenção continuar a “apostar na qualidade no futebol, em dar espectáculo e em fazer um trabalho tranquilo”. Pedro Torrão aponta, para já, na manutenção e acrescenta que a base de jogadores se vai manter. “O projecto foi concebido para promover e lançar jovens e a base será sempre essa”, concluiu.

Vilafranquense ainda sem treinador para a próxima época

Mais Notícias

    A carregar...