uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Liliana Costa precisa de ajuda para novos tratamentos na Alemanha

Liliana Costa precisa de ajuda para novos tratamentos na Alemanha

Novos exames revelaram que cancro está a crescer rapidamente. O dinheiro angariado anteriormente só permitiu efectuar oito dos dez tratamentos necessários.

Edição de 20.07.2016 | Sociedade

A saúde de Liliana Costa sofreu um novo revés e o cancro voltou e continua a progredir de dia para dia. A funcionária da Câmara de Santarém, de 42 anos, fez apenas oito tratamentos na Alemanha, dos dez considerados necessários, por falta de dinheiro, e em Maio deste ano regressou a Portugal feliz e confiante naquela que considerava ser uma nova etapa da sua vida. Foi por isso com espanto e angústia que recebeu a notícia do médico que o cancro tinha voltado a crescer e de forma muito rápida.
“Depois dos tratamentos na Alemanha e da radiocirurgia e da hormonoterapia que fiz em Portugal, as análises indicavam que 90 por cento do tumor existente estava morto. No entanto, os valores começaram a subir e novos exames vieram confirmar o que mais temíamos, que o cancro tinha voltado. Desta vez mais agressivo que nunca e mais voraz. Agora atacou-me nove vértebras e o fígado. É um desânimo muito grande porque eu sentia-me bem. Quinze dias antes do novo diagnóstico estive a dançar, cheia de energia. É muito doloroso ter que passar por tudo novamente”, disse a O MIRANTE.
Assim que soube do resultado das últimas análises, Liliana Costa e o companheiro, Mário Roque, viajaram para a Alemanha na tentativa de encontrar uma nova esperança. Sem dinheiro, tiveram que pedir emprestado para conseguirem viajar. “Em Portugal não existe outro tratamento para a Liliana a não ser uma quimioterapia paliativa, que ela está a fazer, mas que não lhe dá muito tempo de vida. O seu corpo está a colapsar a cada dia que passa e o único tratamento ao qual a Liliana responde está na Alemanha, por isso fomos para lá. Em Portugal nem todos os medicamentos podem ser prescritos para todos os tipos de cancro e o medicamento que faz recuar o tumor da Liliana não é usado em doentes com cancro de mama, por isso ninguém pode prescrevê-lo. São regras que não entendemos. É revoltante”, critica o companheiro Mário Roque.
Liliana Costa pede ajuda para que possa continuar os tratamentos na Alemanha que lhe trouxeram nova qualidade de vida. Quem quiser ajudar pode fazê-lo através do IBAN de Liliana Costa: PT50.0036.0044.99100138955.89. O músico Madeira Show vai realizar, no dia 30 de Julho, a partir das 18h00, no coreto do Jardim da República, um espectáculo de solidariedade, onde o dinheiro angariado reverte a favor de Liliana.
A funcionária da Câmara de Santarém descobriu que tinha cancro de mama aos 34 anos. Quando pensava que já tinha ultrapassado a doença recebeu a notícia que o cancro na mama, do qual fez uma mastectomia ao peito direito, tinha alastrado aos ossos e instalou-se na coluna. “Foi um murro no estômago ouvir que tinha 36 meses de vida”, recorda. Ultrapassado o choque inicial decidiu ir à luta e procurou alternativas para a sua doença que não encontrou em Portugal.

Liliana Costa precisa de ajuda para novos tratamentos na Alemanha

Mais Notícias

    A carregar...