uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Circulação de camiões no Vale de Santarém continua a perturbar moradores

Circulação de camiões no Vale de Santarém continua a perturbar moradores

Cidadão foi à Câmara do Cartaxo alertar autarcas para necessidade urgente de criar uma alternativa à Estrada Nacional 3.

Edição de 16.02.2017 | Sociedade

O cidadão Rui Narciso foi à reunião do executivo da Câmara do Cartaxo alertar o executivo municipal para a necessidade “urgente” de que os camiões e outros veículos pesados deixem de passar pelo centro do Vale de Santarém, vila que fica a meio caminho entre Santarém e o Cartaxo e é atravessada pela Estrada Nacional 3. Rui Narciso estima que circulem por essa estrada cerca de três mil camiões por dia, o que provoca grandes constrangimentos em termos de trânsito.
Há inclusivamente locais em que a via é muito estreita e dois camiões não passam ao mesmo tempo. “A situação tem vindo a piorar muito com o passar dos anos. Nota-se, nos últimos anos, que o fluxo de trânsito é cada vez maior. Para quem mora no local é uma dor de cabeça porque não temos descanso a nenhuma hora do dia”, lamentou o morador no Vale de Santarém.
Rui Narciso garante haver uma alternativa: a Estrada Real, que liga o Alto do Vale à zona da linha do comboio, sem passar pelo centro do Vale de Santarém. “É uma estrada que não está a ser minimamente utilizada”, referiu. O morador do Vale de Santarém lamenta que os veículos pesados continuem a passar na EN 3, o que diz ser um perigo para quem ali tem que circular a pé diariamente.
Em Novembro de 2015, O MIRANTE já tinha dado conta das queixas de Rui Narciso. Na altura, foi feito um abaixo-assinado para que os camiões e veículos pesados deixassem de circular por ali mas até hoje não teve qualquer efeito prático. O MIRANTE constatou que, de facto, os veículos pesados não passam na Estrada Real e que os próprios ligeiros são poucos a passar por ali. “A maioria é por não saber uma vez que não está nada indicado. Mas mesmo estando indicado vai haver sempre a tendência de seguir em frente. A solução é haver mesmo interdição de passagem de pesados pelo centro do Vale de Santarém, defende.
Rui Narciso mora na Rua Francisco Monteiro, à beira da EN 3, e o barulho dos camiões é um tormento durante a noite. “Durante o dia o barulho ainda se aguenta mas de noite incomoda. Se por acaso acordo, depois tenho dificuldade em voltar a dormir porque até a casa abana. Abana a minha, que está a três metros da estrada, e abanam outras que estão ainda a menos distância”, diz.
O vereador do trânsito da Câmara de Santarém, Luís Farinha dizia em Novembro de 2015 ao nosso jornal que o problema só tinha uma solução: “A solução, do meu ponto de vista, passa por criar ou executar a variante à EN 3, entre Santarém e Cartaxo. É uma via que está traçada, creio até que existem estudos para a sua concretização, mas que ainda não avançou”.
Em relação à Estrada Real, Luís Farinha considera não ser alternativa para os camiões que passam no centro do Vale. “Nessa zona existe um conjunto de edifícios cujas varandas estão lançadas na via. Se dois veículos pesados se tivessem de cruzar, não passariam ou então para passarem seguramente que tocariam nas varandas. Por outro lado, não me parece muito correcto retirar o trânsito de uma zona residencial para o transferir para outra igualmente residencial”.

Circulação de camiões no Vale de Santarém continua a perturbar moradores

Mais Notícias

    A carregar...