uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Aumentaram os valores das Bolsas de Solidariedade da Fundação Amélia de Mello
APOIO. Associações da região receberam apoios para desenvolverem projectos na área da deficiência

Aumentaram os valores das Bolsas de Solidariedade da Fundação Amélia de Mello

Nesta quarta edição foram entregues 128 mil euros a dez instituições da área de abrangência do Hospital Vila Franca de Xira.

Edição de 12.07.2017 | Sociedade

O valor dos apoios atribuídos pelas Bolsas de Solidariedade da Fundação Amélia de Mello a projectos sociais na área de abrangência do Hospital Vila Franca de Xira não tem parado de crescer e já vai nos 128 mil euros. Um valor bem longe dos 50 mil euros iniciais com que o projecto se iniciou, há quatro anos, em colaboração entre a fundação e o Conselho para o Desenvolvimento Sustentado do Hospital (CDSH).
“É um balanço extremamente positivo e um sinal de que pequenos montantes conseguem crescer de ano para ano graças aos mecenas, gente generosa que está disponível para ajudar a resolver os problemas da comunidade que, de outra forma, ficariam com eles eternamente”, explica a O MIRANTE Maria da Luz Rosinha, deputada e líder do CDSH.
Na manhã de 5 de Julho, dez associações da região com projectos de responsabilidade social com actuação nos concelhos de Vila Franca de Xira, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Azambuja e Benavente receberam os apoios.
Para o próximo ano a aposta é no apoio a projectos ligados à demência. “À medida que a esperança média de vida aumenta a degeneração mental aumenta também e manifesta-se bastante cedo. As nossas instituições não estão dotadas de respostas adequadas para essa área. Vila Franca de Xira é um concelho que tem muito orgulho na sua intervenção social mas mesmo nessa área a intervenção feita é incipiente. É para dar a volta a essa situação que vamos trabalhar”, refere Maria da Luz Rosinha.
As Bolsas de Solidariedade inserem-se na política de responsabilidade social do CDSH, procurando reconhecer a importância da promoção da integração social, do bem-estar, do desenvolvimento e da valorização pessoal das populações que o Hospital serve. “Não nos substituímos ao papel da sociedade mas antes queremos apoiar e ter uma função doadora, quase ao nível da filantropia. Devolver à sociedade uma parte do que temos conseguido junto da comunidade”, diz Jorge Quintas, da Fundação Amélia de Mello.

As instituições contempladas
As candidaturas apoiadas nesta edição incidem em projectos com intervenção directa na área da deficiência e incapacidade, da Associação de Apoio a Idosos e Jovens da Freguesia de Meca (Alenquer), Associação de Assistência e Beneficência Misericórdia de Alverca, Associação do Hospital Civil e Misericórdia de Alhandra, Associação para a Integração de Pessoas com Necessidades Especiais, Casa São Pedro de Alverca, Centro Social e Paroquial de Aveiras de Cima (Azambuja), Cercipóvoa (Póvoa de Santa Iria), CerciTejo (Alverca), Centro de Recuperação Infantil de Benavente e Santa Casa da Misericórdia de Vila Franca de Xira. Foram mecenas na edição deste ano, além da fundação e do hospital, a Caixa Agrícola, Cimpor, HCI Construções, Recente Diagonal e a Delta.

Aumentaram os valores das Bolsas de Solidariedade da Fundação Amélia de Mello

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido