uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Novo presidente quer um Politécnico de Santarém mais envolvido com a comunidade
José Potes (à direita) foi muito felicitado no final da tomada de posse como presidente do Politécnico de Santarém

Novo presidente quer um Politécnico de Santarém mais envolvido com a comunidade

José Mira Potes promete renovação, gestão partilhada e aprofundamento das relações com o tecido empresarial e institucional

Edição de 19.09.2018 | Sociedade

O novo presidente do Instituto Politécnico de Santarém (IPSantarém), José Mira Potes, tomou posse na tarde de segunda-feira, 10 de Setembro, durante uma cerimónia realizada num repleto e abafado auditório da Escola Superior Agrária de Santarém.
Na mesma sessão foram ainda empossados os novos vice-presidentes da instituição, Nuno Bordalo Pacheco e João Moutão, e ficou também a saber-se que Teresa Salvador passa a ser a nova administradora do IPSantarém. Substitui no cargo Pedro Carvalho, que se demitiu em Junho último e entretanto foi trabalhar para os serviços jurídicos da Câmara de Santarém.
José Mira Potes deixou nessa mesma tarde a direcção da Escola Superior Agrária para suceder a Jorge Justino à frente do IPSantarém. O professor aludiu às “necessidades de modernização e de melhoria da eficiência organizacional”, contando para isso com o trabalho e experiência de Teresa Salvador, que antes foi administradora do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.
“Uma das tarefas de que primeiro se irá debruçar será desde logo a adequação da estrutura orgânica e do conteúdo funcional com o objectivo de melhor servir os domínios da investigação e do desenvolvimento, da internacionalização e da gestão mais partilhada e eficiente”, disse o novo presidente, garantindo que pretende um instituto “renovado e ao serviço da região”, procurando integrar as competências do IPSantarém no esforço de desenvolvimento local.
Melhorar a oferta formativa, adequando-a tanto quanto possível à realidade do mercado de trabalho, é outro objectivo estratégico apontado por José Potes, que reforçou ainda que o Politécnico de Santarém tem que aprofundar o relacionamento com o tecido empresarial e institucional para melhor servir a região.
E isso, diz o novo presidente, “implica que o IPSantarém se envolva mais activamente na elaboração dos planos, dos projectos e de outras iniciativas de interesse regional”. Ficou também a promessa de José Potes de uma gestão participada e em consonância com as cinco escolas superiores que integram o IPS, situação que considera inédita.
Na sessão discursaram ainda o presidente cessante Jorge Justino, e o presidente do Conselho Geral do IP Santarém, Francisco Madelino, que felicitaram os novos dirigentes e deixaram-lhes palavras de estímulo face aos desafios que têm pela frente.

À margem

Muitos políticos e nem o bispo faltou

A posse do presidente do Politécnico de Santarém tem peso institucional e as chamadas forças vivas da cidade (e não só) disseram presente na cerimónia. Para além de vários deputados eleitos pelo distrito, como Idália Serrão (PS), Patrícia Fonseca (CDS), António Filipe (PCP) e Nuno Serra (PSD), compareceram também os presidentes das câmaras de Santarém (Ricardo Gonçalves), de Rio Maior (Isaura Morais) e do Cartaxo (Pedro Magalhães Ribeiro), além de diversos outros autarcas, entre vereadores e presidentes de junta. E o bispo de Santarém, D. António Traquina, também ‘abençoou’ a nova equipa.

Justino e a pressão ao Governo

O presidente cessante do Politécnico de Santarém, Jorge Justino, deixou um apelo ao seu sucessor: para que pressione o Governo no sentido de construir uma residência de estudantes que sirva a Escola Superior de Desporto de Rio Maior. Uma ambição já com muitos anos e que os vários partidos parlamentares consideram urgente. Pena foi que a voz de Justino não se tenha pronunciado mais vezes publicamente a defender essa causa quando liderava o instituto. Mas mais vale tarde do que nunca…

Antigo administrador ausente

Pedro Carvalho, ex-administrador do Politécnico de Santarém e braço direito de Jorge Justino durante os últimos oito anos, não foi visto na sessão. Após a sua demissão, em Junho, ainda continuou a frequentar as instalações do instituto durante mais uns tempos, até entrar recentemente ao serviço na Câmara de Santarém, contratado para a área jurídica.

Novo presidente quer um Politécnico de Santarém mais envolvido com a comunidade

Mais Notícias

    A carregar...