uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Piratas informáticos deixam ABEIV com documentos bloqueados
Vasco Matos

Piratas informáticos deixam ABEIV com documentos bloqueados

Caso foi reportado à Polícia Judiciária e a segurança reforçada. Atacantes lançaram um isco aos computadores da associação de Vialonga e um funcionário caiu na armadilha. Tal como num sequestro, os piratas exigiram um resgate de vários milhares de euros para devolver o acesso aos documentos.

Edição de 10.04.2019 | Sociedade

Um ataque informático aos computadores da Associação de Bem-Estar Infantil de Vialonga (ABEIV) deixou a associação sem acesso a milhares de documentos. Os piratas informáticos bloquearam os acessos aos ficheiros e exigiram à colectividade o pagamento de milhares de euros à troca de libertarem o código que permitia aceder aos ficheiros. O técnico de informática que presta serviço à ABEIV não conseguiu contornar o sistema instalado pelos atacantes e o caso foi reportado à Polícia Judiciária, que está a investigar.
O crime aconteceu depois dos atacantes enviarem um e-mail com um anexo contaminado para a associação, que depois de ter sido aberto por um funcionário activou o software nocivo. A Judiciária aconselhou a ABEIV a não pagar o valor exigido, já que na maioria das vezes os piratas digitais não desbloqueiam os ficheiros e pedem um segundo pagamento de valores ainda mais elevados.
A melhor forma de evitar estes ataques, tal como o perito informático Luís Farias, da Goldesk, já havia explicado a
O MIRANTE, é nunca abrir emails de estranhos com anexos, ou mesmo emails que, com proveniência “familiar”, denunciem algum tipo de linguagem estranha. “O email é a porta de entrada principal para os vírus, mas também podem entrar no sistema quando se acede, por exemplo, a sites de filmes e softwares piratas”, alertou.

Dados dos utentes não estão em risco
O presidente da ABEIV, Vasco Matos, explica que os atacantes bloquearam os ficheiros na totalidade e sem os seleccionar por assunto. No leque estavam, entre outros, listas de associados, utentes e contabilidade. O dirigente garante que nenhuns dados privados de utentes ou funcionários ficaram expostos. “A garantia que a polícia nos deu é que nenhum dos ficheiros foi removido ou copiado, simplesmente deixou de poder ser acessado”, explica.
O ataque aconteceu em Maio de 2018 e foi mantido em sigilo para permitir que muita da informação que estava na plataforma informática pudesse voltar a ser compilada e inserida de novo nos sistemas informáticos. O dirigente explica que já foram dadas indicações para reforçar a segurança do seu parque informático e diz que actualmente a informação sensível da ABEIV já não se encontra num só local mas em vários servidores, para impedir situações semelhantes no futuro.
“Apesar de tudo a situação não perturbou em nada o normal funcionamento da associação e o serviço que prestamos aos utentes. O maior problema foi para os nossos funcionários, que tiveram de estar a introduzir manualmente, novamente, a maioria da informação que foi atacada”, lamenta o dirigente.

Relatório e contas atrasado
Outro dos constrangimentos que a situação causou foi obrigar a associação a pedir à Segurança Social uma prorrogação excepcional do prazo de entrega do seu relatório e contas, que devido à situação ainda está a ser finalizado. Por lei a associação tinha até 31 de Março para levar a discussão em assembleia geral o seu relatório e contas de 2018. Foi agendada a assembleia mas a votação acabou por ter de ser adiada porque o documento ainda não se encontrava pronto a ser apreciado pelo conselho fiscal e pelos sócios. Está agendada nova assembleia para 26 de Abril às 20h30 na sede da ABEIV, na rua José Régio, no Parque Residencial de Vialonga.

Piratas informáticos deixam ABEIV com documentos bloqueados

Mais Notícias

    A carregar...