uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
AIP reforça associativismo empresarial e dá o exemplo na gestão e nas novas áreas de negócio
José Eduardo Carvalho, presidente da AIP

AIP reforça associativismo empresarial e dá o exemplo na gestão e nas novas áreas de negócio

Associação empresarial AIP/CCI renovou-se e tem dado o exemplo na gestão do património e na implementação de iniciativas para o tecido empresarial.

Edição de 01.05.2019 | Economia

Na última Assembleia Geral da Associação Industrial Portuguesa - Câmara de Comércio e Indústria, que se realizou a 2 de Abril, José Eduardo Carvalho (JEC) realçou o fim de um ciclo de gestão de oito anos em que a principal prioridade de gestão incidiu no equilíbrio de exploração da AIP e na concretização do plano de sustentabilidade financeira e de reestruturação organizacional. O exercício de 2018 confirmou a tendência já evidenciada desde 2015 e apresentou os melhores resultados económicos e financeiros da AIP após a cisão AIP/Fundação.
JEC salientou as grandes dificuldades na gestão financeira da associação mas apresentou resultados que denotam o trabalho da direcção no saneamento financeiro da AIP. Falou ainda em “gestão silenciosa” para destacar o trabalho de “formiguinha” que foi feito em todas as frentes, apesar das muitas dificuldades de gestão que ainda continuam, nomeadamente ao nível do fundo de maneio.
Na leitura dos números de 2018 e no balanço do trabalho da direcção, JEC realçou a evolução dos proveitos resultantes de novas áreas de negócio, implementadas a partir de 2015, que é considerado um dos aspectos mais relevantes do exercício. Na opinião da direcção, os proveitos decorrentes da implementação do plano de sustentabilidade financeira e de reestruturação organizacional da AIP, contribuíram fortemente para a evolução positiva das condições de exploração da associação. JEC deu como exemplo a rentabilização do património, nomeadamente o arrendamento de instalações, parques de estacionamento, entre outros, os trabalhos de consultadoria, o serviço de emissão de certificados de origem e a organização de eventos.
PROJEcTOS E AcÇÕES DE APOIO A EMPRESAS
Dos projectos e acções de apoio a empresas destacaram-se os seguintes: a criação e dinamização do projecto E-UTIL que permitiu a criação da primeira plataforma digital de leilões de utilidades, com especial incidência na energia, com o objectivo de agregar consumos de PME e reduzir custos energéticos.
Portugal Sou Eu (2ª edição), programa que visa promover a oferta nacional e o respectivo consumo, com forte incorporação nacional. O programa é gerido pela AIP, AEP e CAP. Os grupos que integraram este programa foram a EDP, Mota Engil, Grupo Pestana, Tekever e Sonae. As PME envolvidas foram mais de meia centena. Foi salientado o facto de os gestores de topo de todas as empresas se terem envolvido pessoalmente.
O MOVE-PME, projecto de formação-acção que melhor tem contribuído para a capacitação de empresários, gestores e trabalhadores das PME aderentes. Estiveram envolvidas 1.417 empresas e 4.468 participantes. As áreas de incidência deste programa são a organização e gestão, sistemas de gestão da qualidade, ambiente, saúde e segurança, entre outros.
O EEN é um programa que consiste na dinamização da maior rede de informação e aconselhamento às empresas existentes na Europa. A taxa de execução dos objectivos do programa ultrapassou todos os indicadores propostos pela EASME. Estiveram envolvidas 63 empresas e 5 tinham realizado contratos comerciais durante o ano de 2018.
No que concerne aos projetos aprovados e iniciados em 2018, destacam-se o + Produtividade, programa que implementa o modelo de melhoria contínua Kaizen Lean em 40 médias empresas industriais. É a 2ª edição do programa dado os excelentes resultados alcançados na melhoria de produtividade das empresas aderentes. O Negócios do mundo é o primeiro projecto em co-promoção de oito associações empresariais na área da internacionalização. Este modelo de cooperação permite articular mercados, calendários de realização e acções de oito associações num só programa de internacionalização, evitando sobreposições de iniciativas. Irá envolver 550 empresas.
O Finance for growth é um projecto inspirado em programas semelhantes na Irlanda e Itália que procura diversificar as condições de acesso ao financiamento, nomeadamente ao mercado de capitais. Está a ser executado pela AIP, AEP e Universidade Católica.
Soluções de financiamento para PME é projecto dinamizado em parceria com a PwC e pretende criar instrumentos de financiamento, como obrigações agrupadas de PME e instrumentos que dinamizem o redimensionamento empresarial.

DINÂMICA ASSOCIATIVA
Sobre a dinâmica associativa da AIP/CCI o ano de 2018 teve mais actividades, que envolveram 3.924 empresas e 8.484 participantes (empresários e colaboradores).
Entraram 268 novos associados e no período dos dois mandatos dos actuais corpos sociais (2011/2018) foram recrutados 2.942 associados, 55 por cento (%) da actual estrutura associativa.
Os associados no regime de dupla filiação da Nersant e Nerlei, e os associados exclusivos da AIP representam 63% da estrutura associativa. Os distritos de Santarém, Leiria, Lisboa, Vila Real e Évora são os principais pólos de recrutamento da AIP e representam 75% dos associados.
O inquérito à actividade empresarial que se elabora desde 1995, voltou a obter um elevado numero de respostas (834) o que o transforma num dos maiores inquéritos de consulta económica realizados no país.

AIP reforça associativismo empresarial e dá o exemplo na gestão e nas novas áreas de negócio

Mais Notícias

    A carregar...