uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
Cursos técnicos profissionais asseguram alunos nos politécnicos da região
Mira Potes, presidente do IPS, com Isaura Morais e Inês Barroso que marcaram presença na 5ª Conferência dos TeSP

Cursos técnicos profissionais asseguram alunos nos politécnicos da região

Politécnico de Santarém tem, actualmente, 25 cursos TeSP nas suas escolas. Cursos intermédios formam quadros técnicos que podem sair directamente para o mercado de trabalho e são cada vez mais procurados.

Edição de 01.05.2019 | Sociedade

Os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (TeSP) têm sido o suporte de sobrevivência de muitos institutos politécnicos, pois têm feito face à diminuição de procura dos estudantes pelas licenciaturas dessas instituições. Exemplo disso mesmo é a enorme procura dos alunos por estes cursos de dois anos. “Assinámos um protocolo com o Governo em que nos comprometíamos até 2020 atingir os 20 mil novos alunos nos TeSP, a nível nacional. Só este ano já ultrapassámos os 21 mil”, apontou Pedro Dominguinhos, presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP). As declarações foram feitas durante a 5ª Conferência de Cursos TeSP, que decorreu no dia 17 de Abril, na Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Santarém (IPS).
José Mira Potes, presidente do IPS, também reiterou a importância destes cursos intermédios que formam quadros técnicos capazes de sair directamente para o mercado de trabalho. Corresponder às solicitações dos empresários da região é o objectivo que o IPS persegue. “Apostar na diferença entre regiões é fundamental. Não faz sentido que politécnicos que estão geograficamente próximos tenham as mesmas ofertas curriculares”, referiu o responsável.
O IPS tem, actualmente, 25 cursos TeSP em Santarém e em Rio Maior, onde está estabelecida a Escola Superior de Desporto.
Inês Barroso, vice-presidente da Câmara de Santarém, marcou presença na conferência e aproveitou para referir que tem reunido com os empresários do concelho e sentido que é preciso abrir o politécnico à comunidade para dar resposta à necessidade de mão-de-obra qualificada de quadros intermédios. Uma necessidade que também se reflecte no mundo rural. A autarca apelou a que seja encontrada uma forma de aumentar a componente prática destes cursos, de modo a evitar o abandono escolar. “Os dados revelam que tem havido um grande absentismo nestes cursos logo no primeiro ano devido à grande componente teórica”, destacou.
Isaura Morais, presidente da Câmara de Rio Maior, também aproveitou para realçar a importância do envolvimento dos politécnicos com as comunidades intermunicipais, uma vez que a transferência de competências que o Governo passou para estes organismos pode ser aproveitada em benefício das instituições de ensino superior, nomeadamente na captação de fundos comunitários.
Durante a conferência Ricardo Rato, vereador da Câmara de Santarém, e José Mira Potes assinaram o protocolo no âmbito dos cuidados veterinários, que vai permitir o estágio a dois alunos de cursos TeSP, com formação prática em contexto de trabalho, no canil e gatil municipal.

Cursos técnicos profissionais asseguram alunos nos politécnicos da região

Mais Notícias

    A carregar...