uma parceria com o Jornal Expresso

Edição Diária >

Edição Semanal >

Assine O Mirante e receba o jornal em casa
31 anos do jornal o Mirante
O técnico de informática e a decoradora que fazem e oferecem viseiras e máscaras 
Bruno Carvalho

O técnico de informática e a decoradora que fazem e oferecem viseiras e máscaras 

Numa altura em que o país luta contra a pandemia da Covid-19, Bruno Carvalho, do Entroncamento, e Virgínia Botequim, de Santarém, aproveitam os seus conhecimentos para produzir equipamentos de protecção.

Edição de 15.04.2020 | Sociedade
foto DR Virgínia Botequim conta com o apoio das funcionárias das suas lojas de decoração agora fechadas

O técnico de informática Bruno Carvalho, do Entroncamento, e a decoradora Virgínia Botequim, de Santarém, estão a aproveitar o tempo que estão em casa para fazerem equipamentos de protecção contra a Covid-19. Ele tem estado a fazer viseiras e ela máscaras, que têm entregado a instituições que não podem parar nesta altura de pandemia, como forças de segurança, bombeiros, pessoal da saúde e profissionais de instituições de solidariedade.
Bruno Carvalho, 35 anos, com conhecimentos de modelação e impressão, já fez mais de 500 viseiras em impressão 3D, que entregou em corporações de bombeiros, hospitais, GNR, PSP, entre outras entidades. Além da região enviou também os seus produtos para Lisboa e Coimbra pelos quais não está a cobrar um cêntimo já que tem vindo a receber ofertas de matéria-prima. Quanto a Virgínia já fez mais de duas mil máscaras, mas conta com o apoio das suas cinco funcionárias uma vez que tem as lojas fechadas.
Cada um pensou em fazer equipamentos com os melhores produtos e de forma a terem uma boa utilização. As viseiras de Bruno são reutilizáveis, com hastes e elásticos laváveis. São fabricadas a partir de bobines de plástico em fio, o chamado filamento, com 1,75 milímetros de diâmetro.
O material usado pela decoradora de Santarém é tnt (tecido não tecido), material obtido de fibras e, geralmente, de polipropileno. Além das viseiras, Gina, como também é conhecida, fez dezenas de cógulas e perneiras. Algum do material já foi entregue no Hospital de Santarém e outro em lares da terceira idade do concelho de Santarém.
Bruno trabalha com impressão 3D há vários anos no desenvolvimento de peças para a indústria e produtos para empresas, maioritariamente estrangeiras. Gina teve algumas dificuldades em arranjar elásticos para as máscaras, mas conseguiu comprá-los numa fábrica no norte do país. Neste momento a decoradora já tem ofertas de outras costureiras que querem colaborar.

O técnico de informática e a decoradora que fazem e oferecem viseiras e máscaras 

Mais Notícias

    A carregar...

    Capas

    Assine O MIRANTE e receba o Jornal em casa
    Clique para fazer o pedido