Sociedade | 10-05-2019 07:00

Santarém devia acarinhar mais as personalidades que marcaram a cidade

Santarém devia acarinhar mais as personalidades que marcaram a cidade
RECONHECIMENTO

Vice-presidente da Sociedade Recreativa Operária de Santarém deixou alguns recados durante homenagem ao padre Francisco Nunes da Silva.

A população de Santarém devia acarinhar mais as personalidades que marcaram a cidade e procurar conhecer melhor cada uma delas. Isso mesmo defendeu a vice-presidente da direcção da Sociedade Recreativa Operária (SRO) de Santarém, Manuela Marques, antes da deposição de um ramo de flores no busto do padre Francisco Nunes da Silva, falecido há 150 anos.

Segundo Manuela Marques, ainda há um grande défice de conhecimento da história de algumas personalidades e do que elas significaram para a cidade. É na base disso, adianta, que a SRO deve continuar a repetir estes gestos pelo bem da cultura local. “O padre Chiquito, patrono da associação, foi uma pessoa especial e merece que continuemos todos os anos a recordá-lo e o que ele fez por Santarém”, referiu.

Durante a cerimónia, Manuela Marques recordou ainda que, durante muitos anos, os tipógrafos eram os únicos que não trabalhavam no dia 1 de Maio e festejavam essa data. E, por isso, a acção de deixar flores no busto do Padre Chiquito era uma tarefa difícil, mas os operários arranjavam sempre tempo para isso. “Era quase um acto de rebeldia, mas para os trabalhadores fazia sentido, pois era o dia que marcava o aniversário da SRO”, acrescentou.

Francisco Nunes da Silva, ou mais carinhosamente Padre Chiquito, nasceu em Alfange, concelho de Santarém, em 1790, tendo sido prior das Igrejas de São Julião e de São Salvador. Ficou conhecido na cidade após as famílias ricas começarem a delegar nele a função de distribuir os bens que ofereciam aos mais necessitados. Faleceu a 13 de Janeiro de 1869. A ideia de colocação do busto surgiu exclusivamente da SRO. O objectivo era honrar a memória daquele que é o patrono da associação.

Após a homenagem junto ao busto do Padre Ciquito, seguiu-se uma romagem ao cemitério onde foram homenageados os sócios falecidos. A próxima iniciativa com o intuito de homenagear o padre Francisco Nunes da Silva decorre na sexta-feira, 17 de Maio, pelas 18h00, com um jantar onde o padre Joaquim Ganhão vai falar sobre essa personalidade.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Médio Tejo