Sociedade | 12-05-2019 15:00

Maioria dos moradores do Bairro Azul fica em casa de familiares durante as obras

Obras superiores a um milhão de euros obrigaram ao realojamento temporário dos residentes desse bairro social da Póvoa de Santa Iria.

A maioria dos moradores do bairro do Programa Especial de Realojamento (PER) da Quinta da Piedade, na Póvoa de Santa Iria, conhecido como “Bairro Azul”, optou por ficar alojada temporariamente em casa de familiares, enquanto decorrem as obras no bairro, ao invés de soluções de arrendamento propostas pela câmara municipal. A informação foi avançada na última semana pela vereadora da Câmara de Vila Franca de Xira, Helena de Jesus (PSD), que tem acompanhado o processo.
As obras envolvem o realojamento temporário de 29 famílias para que os prédios sejam requalificados, numa intervenção orçada em um milhão e 400 mil euros. A primeira fase da obra, que se iniciou em Outubro de 2018, está concluída e 31 apartamentos dos prédios 4 e 6 da Rua Cesária Évora estão reabilitados e as famílias estão a regressar.
“Em simultâneo as famílias residentes no prédio 10 dessa rua e do número 2 da Rua de Cabo Verde encontram-se em fase de mudanças, estando a ser desenvolvido um trabalho social de proximidade através do qual pretendemos atender às necessidades específicas de cada situação”, explicou a autarca.
Segundo a câmara, das famílias actualmente em mudanças, cinco recorreram a apoio familiar, uma família foi alojada temporariamente numa habitação arrendada na cidade e as restantes distribuídas por outros apartamentos municipais.
Ao todo serão desocupados 82 apartamentos – lotes 1 a 6 – daquele bairro. Além do interior das habitações, a requalificação geral do bairro inclui tratamento de fachadas, coberturas e espaços comuns. Na primeira fase 14 famílias recorreram a apoio familiar, sendo que o município contribuirá com uma ajuda monetária mensal às famílias. As restantes 15 foram realojadas em fracções municipais e uma num apartamento alugado pelo município. Os bens dos moradores estão guardados em instalações municipais vigiadas.

Obras em Povos concluídas

Em Maio de 2018, como O MIRANTE noticiou, vários moradores do PER de Povos, um dos bairros municipais também em obra, manifestaram o seu descontentamento pela desorganização dos trabalhos que estavam a ser realizados e que, em alguns casos, deixaram os moradores sem gás canalizado durante um mês, devido à substituição das canalizações e atrasos na colocação dos móveis novos nas cozinhas, situação que impediu as pessoas de tomar banho e cozinhar. Helena de Jesus garante que as intervenções estão concluídas e que foram realizadas reabilitações em onze vãos de escada e cozinhas de 74 fracções, num investimento de 660 mil euros.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Médio Tejo