Sociedade | 22-06-2019 15:00

Autarca da Assembleia de Freguesia do Sardoal investigado pela PJ renuncia ao mandato

É suspeito de aceder ao correio electrónico da junta de freguesia indevidamente.

Guilherme Martins, eleito do PSD na Assembleia de Freguesia do Sardoal, renunciou ao seu mandato no dia 11 de Junho. Em causa estão investigações realizadas pela Polícia Judiciária (PJ) na semana passada após uma queixa apresentada pela Junta de Freguesia do Sardoal ao Ministério Público por acesso indevido de Guilherme Martins à correspondência electrónica desta autarquia em 2017.

O assunto tem provocado polémica no Sardoal com o PSD local a emitir um comunicado onde critica a postura do presidente da junta, Miguel Alves (PS), que numa publicação assinada pelo próprio na página da autarquia na rede social Facebook referiu que a retirada da queixa seria analisada, mas para isso acontecer Guilherme Martins teria que renunciar ao mandato.

“Foi pedido ao senhor Guilherme Martins que fizesse chegar uma carta à junta de freguesia a assumir a sua culpa e assumir também todas as despesas inerentes ao processo. Para analisarmos a retirada da queixa deveria renunciar de imediato ao mandato de vogal da assembleia de freguesia”, pode ler-se na página da Junta de Freguesia do Sardoal na rede social Facebook numa declaração assinada pelo presidente Miguel Alves, acrescentando que decidiram comunicar à advogada da autarquia para efectuar o pedido de retirada da queixa junto do Ministério Público (MP).

PSD fala em chantagem do presidente da junta

Esta situação provocou uma reacção do PSD do Sardoal que quer que o processo judicial decorra até ao fim, não aceitando que a junta de freguesia retire a queixa movida contra Guilherme Martins. O PSD condena a atitude do eleito social-democrata e rejeita a forma como o presidente da junta de freguesia está a gerir o processo classificando de coacção a forma como Miguel Alves negociou a saída de um eleito.

“O senhor presidente da Junta de Freguesia do Sardoal terá que fazer aquilo que lhe compete fazer para defender a sua autarquia, indo até às últimas consequências, custe o que custar, doa a quem doer”, refere o PSD do Sardoal.

A concelhia do PSD defende que se deve apurar qual a gravidade e implicações dos actos provocados pelo acesso indevido ao email da junta de freguesia e diz que vai fazer chegar esta sua pretensão ao MP. “Não tem outro nome, exercendo chantagem a troco da retirada da queixa apresentada. Esta não é a melhor forma nem a mais digna de estar nesta vida política. Que haja mais elevação de acordo com o cargo que ocupa”, refere o PSD criticando a forma como Miguel Alves está a gerir todo o processo.

Guilherme Martins foi secretário da Junta do Sardoal no executivo anterior e é funcionário da Câmara Municipal do Sardoal. O MIRANTE contactou Guilherme Martins para obter mais esclarecimentos mas este não quis prestar declarações.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1412
    18-07-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1412
    18-07-2019
    Capa Médio Tejo