Sociedade | 25-06-2019 18:00

Antigo Vila Franca Centro está num estado calamitoso

Antigo Vila Franca Centro está num estado calamitoso
VILA FRANCA DE XIRA

Espaço está vandalizado e a servir como sanitários improvisados. Município admite limpar e agir na justiça para ser ressarcido das despesas pela massa insolvente do antigo centro comercial.

Porco, imundo e vergonhoso. Estes são alguns dos adjectivos ouvidos na rua e da boca de autarcas locais face ao estado degradado das entradas principais do antigo centro comercial Vila Franca Centro (VFC), situado em pleno centro de Vila Franca de Xira. As entradas estão vedadas com grades mas não são limpas há quase cinco anos e até há quem as transponha para aliviar as necessidades no interior. Na entrada principal há mato por cortar e lixo que dá um mau aspecto a toda a zona. A falta de vigilância permite que o espaço esteja a ser invadido por diversas pessoas durante a noite.

Quem vive e trabalha na zona quer que haja uma limpeza até às festas do Colete Encarnado para o espaço não dar um mau aspecto à cidade. A câmara diz que vai analisar a ideia.

O presidente do município, Alberto Mesquita (PS), reconhece que o espaço chegou a um estado “calamitoso” e admite mandar os serviços municipais intervir na zona e depois agir na justiça para reclamar os gastos da operação de limpeza à massa insolvente.

O assunto veio a lume na última reunião pública de câmara onde foi aprovada por maioria, com a abstenção do Bloco de Esquerda, a segunda revisão ao orçamento, plano plurianual de investimentos e plano de actividades e funcionamento municipal da câmara para este ano, onde foi inserida a compra das antigas salinas de Alverca e do estacionamento subterrâneo do VFC.

“Temos feito iniciativas para que quem é responsável pelo edifício o limpe mas sem sucesso. Já falei com a Polícia para que sejam feitas fiscalizações dentro do edifício porque estava gente lá dentro. Sei que houve limpeza em tempos mas não foi suficiente”, lamenta Alberto Mesquita.

O autarca acredita que quando a câmara ocupar o estacionamento do antigo centro comercial - as negociações com o Novo Banco estão no bom caminho -, esse será um factor de manutenção daquele espaço, “porque vamos ter segurança e alguns problemas vão deixar de existir”, pelo menos no que diz respeito às pessoas que usam as garagens para entrar no edifício. “Para já agiremos em tribunal para sermos ressarcidos de alguma intervenção de limpeza que ali tenhamos de fazer”, garante.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1417
    21-08-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1417
    21-08-2019
    Capa Médio Tejo