Sociedade | 20-08-2019 10:00

Monumento à aviação militar em Alverca com avião em posição invulgar

Monumento à aviação militar em Alverca com avião em posição invulgar

Presidente da câmara questionou a situação e fala em obra complexa de engenharia.

O monumento ao centenário da aviação militar em Alverca, à saída da Auto-Estrada do Norte (A1), está a dividir opiniões devido à posição do avião. A obra de engenharia que demorou 16 anos a concretizar inclui um avião T-38 Talon colocado numa posição tombada, em que parece que está a cair. Há quem elogie a capacidade de fazer um monumento diferente, mas também quem critique dizendo que é uma aberração estética. Apesar de já ter sido inaugurado há algumas semanas o assunto continua a motivar discussões.

O próprio presidente da Câmara de Vila Franca de Xira foi questionado sobre o assunto na última reunião pública de câmara e confessou que também se interrogou sobre a posição invulgar da aeronave. Alberto Mesquita lembra que o projecto é da Força Aérea Portuguesa e que é uma obra de engenharia complicada. Sobre questões estéticas, o autarca diz ter a sua opinião, mas não a divulga.

Alberto Mesquita refere que a Força Aérea Portuguesa lhe explicou que a posição em que se encontra o avião representa “a manobra sublime e mais difícil que um piloto tem de fazer em combate, que é o looping”. O monumento faz assim também homenagem à capacidade dos pilotos portugueses.

O monumento é da autoria do arquitecto Miguel Conceição, que foi responsável, entre outras obras, pela remodelação da torre de controlo da base de Monte Real e do monumento aos 100 anos da aviação militar em Portugal, em Sintra. O monumento de Alverca foi instalado numa rotunda que costumava estar cheia de ervas.

O processo de construção do monumento não foi fácil e o presidente da câmara chegou a equacionar desistir da ideia, devido às dificuldades e aos jogos de empurra entre várias entidades do Estado. Mas agora Mesquita diz que valeu a pena e que este monumento veio dar dignidade à entrada de Alverca. O autarca reconhece que ainda falta mais sinaléctica em Alverca a dar nota aos visitantes dos locais onde existem outros aviões em exposição na cidade, como por exemplo na Rua Sacadura Cabral.

O T-38 foi o primeiro avião supersónico recebido por Portugal. De fabrico norteamericano, atinge uma velocidade máxima de 1.381 quilómetros por hora. O avião de Alverca foi esvaziado de todas as suas estruturas interiores, reabilitado na OGMA - Indústria Aeronáutica e aplicado numa base de suporte capaz de aguentar o seu peso de 3,2 toneladas. Tem 14 metros de comprimento e 7,7 metros de envergadura. No total a Câmara de Vila Franca de Xira gastou 160 mil euros na obra.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1341
    19-09-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1341
    19-09-2019
    Capa Médio Tejo