Sociedade | 25-08-2019 15:00

Presidente e vice do sindicato dos camionistas ligados a Vale de Cavalos e Alpiarça

Presidente e vice do sindicato dos camionistas ligados a Vale de Cavalos e Alpiarça
GREVE

Pedro Pardal Henriques, vice-presidente do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas, nasceu em Alpiarça e é filho de um casal de Vale de Cavalos.

O homem mais mediático dos últimos tempos, Pedro Pardal Henriques, tem ligações a Vale de Cavalos, concelho da Chamusca, terra dos avós e dos pais, e nasceu no concelho vizinho de Alpiarça. Mas o advogado, vice-presidente e porta-voz do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas, não é o único com ligações a esta zona. O presidente da organização que já quase parou o país em Abril, com muitos postos a ficarem sem combustível, Francisco São Bento, também tem ligações à terra onde nasceram os pais de Pardal Henriques.

Não consta que os dois sindicalistas se encontrem em Vale de Cavalos, porque Pardal Henriques não é visto pela terra, onde ainda preserva a casa dos avós e onde tem família mais afastada. Mas São Bento é visto muitas vezes pela aldeia do concelho da Chamusca, onde os seus pais, que não são da terra, compraram uma casa e estão a residir há uns anos. O presidente do sindicato apaixonou-se por uma valcavalense, com quem vive, e costuma ir com alguma frequência à aldeia.

De Pardal Henriques não há memórias nem em Vale de Cavalos nem em Alpiarça, porque aos três anos de idade foi com os pais viver para o Carregado, concelho de Alenquer, onde foi criado. O presidente da Junta de Freguesia de Vale de Cavalos, José Trindade, diz que só falou uma vez com o vice-presidente do sindicato para tratar de um atestado de residência para umas pessoas que viviam em casa dos avós do sindicalista. Da pouca conversa que mantiveram diz que lhe pareceu uma pessoa idónea e cordial.

Já com Francisco São Bento, o presidente da junta confessa a O MIRANTE que tem falado várias vezes com ele quando o encontra na aldeia ao fim-de semana, salientando que também tem uma boa impressão do presidente do sindicato. De há uns tempos a esta parte Pardal Henriques tem sido visto esporadicamente no café do Parque do Carril, onde decorre todos os anos o mercado do melão. No estabelecimento, que é explorado por uma prima do advogado sindicalista, já foi visto com amigos que leva para o espaço para conviverem.

O pai de Pardal Henriques, que já faleceu, chegou a trabalhar nos escritórios da fábrica da Compal, em Almeirim, antes de enveredar pela carreira de camionista, que também é a profissão do irmão do vice-presidente do Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas.

O sindicalista, nascido em 1978, não nega as suas origens. No perfil publicado a propósito do prémio “português de valor de 2018”, da Lusopress, uma empresa de comunicação de Paris, para emigrantes portugueses, apresenta-se como natural de Alpiarça.

Na segunda greve deste ano, que decorreu entre 12 e 18 de Agosto, os efeitos podem não ter sido os esperados pelos sindicalistas, mas foi a que mais protagonismo deu a Pardal Henriques que passava dezenas de vezes nas televisões por dia. Num estudo publicado pela Meios & Publicidade no dia 20 de Agosto, concluiu-se que Pardal Henriques foi a personalidade mais mediática da greve dos motoristas, tendo sido contabilizadas entre 12 e 18 de Agosto um total de 8.241 notícias sobre a greve, tendo o vice-presidente do sindicato obtido trinta por cento das alusões, o dobro do primeiro-ministro António Costa, que foi referenciado em catorze por cento das notícias.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Médio Tejo