Sociedade | 08-10-2019 07:00

Férias e festa são os culpados pela falta de limpeza na Póvoa de Santa Iria

Eleitos da freguesia manifestaram preocupações com limpeza urbana, recolha de monos e manutenção de zonas verdes na Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa.

Vários espaços verdes da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa estão a sofrer de falta de manutenção e o presidente da união de freguesias diz que a culpa foi das férias dos funcionários nos meses de Verão e do tempo que passaram a preparar a festa da cidade.

As explicações vieram a lume na última sessão da Assembleia de Freguesia da Póvoa de Santa Iria, na noite de 19 de Setembro, onde vários eleitos manifestaram preocupações com o que dizem ser a falta de limpeza urbana, problemas na recolha de monos e falta de manutenção das zonas verdes. “Estamos a retomar a actividade normal depois de um período em que tivemos os nossos recursos alocados à festa e muita gente de férias”, explicou Jorge Ribeiro (PS), acrescentando que apesar de em menor quantidade nunca foi descurada a limpeza.

“Nos monos temos uma equipa permanentemente a recolher e só no último mês fizemos praticamente 300 entradas em vazadouro de recolha de monos. A regularidade existe, o que não conseguimos controlar é a quantidade de monos que as pessoas colocam nas ruas. Existem pessoas que despejam casas inteiras no contentor do lixo e como sabem isso não é fácil, não é legal e não há máquina que aguente”, lamenta.

A União de Freguesias da Póvoa e Forte da Casa não recorre a empresas privadas para assegurar esse serviço, ao contrário das freguesias vizinhas, o que impõe desafios maiores para o quadro de pessoal da junta. “Os nossos trabalhadores são pau para toda a obra”, diz o autarca.

Jorge Ribeiro diz ainda que a população tem de se habituar a conviver com zonas de prado de sequeiro, ou seja, zonas verdes que, no Verão, se tornam amarelas e mortiças por falta de rega. “Estamos numa altura em que precisamos de poupar água. Temos notado que em algumas situações precisamos de reparar os sistemas de rega. Não vivemos na zona norte do país, em que é possível ter zona verde com a humidade”, explica.

David Costa, da CDU, alertou que a situação tem piorado nos últimos meses e que, apesar das várias promessas de melhoria, a falta de maior recolha de monos continua a ser um problema sentido na pele pelos moradores.

Também António Inácio, da lista de independentes Póvoa + Forte, lamenta que a maioria das zonas verdes da freguesia se encontre completamente seca, com aspersores avariados e falta de rega regular. Para provar o seu ponto os eleitos da bancada prometeram entregar um levantamento exaustivo dessas situações na Póvoa e Forte da Casa.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Médio Tejo