Sociedade | 08-10-2019 07:00

Situação da Fleximol preocupa autarcas do Cartaxo

Empresa de suspensão de veículos tem tido menos encomendas, pondo em causa a sua sustentabilidade.

A crise que atravessa a empresa Fleximol – Suspensões para Veículos, S.A., situada na Zona Industrial do Cartaxo, devido à falta de encomendas, dominou a última sessão da Assembleia Municipal do Cartaxo. Os eleitos municipais esqueceram as divergências políticas e aprovaram por unanimidade uma moção proposta pela CDU manifestando solidariedade com os funcionários da empresa.

O documento apela ao executivo municipal, no âmbito das suas competências, que se disponibilize a colaborar com a administração da Fleximol e efectue as diligências necessárias junto das entidades públicas competentes, na procura de soluções para os desafios que se avizinham.

“No momento presente, devido à falta de encomendas, a empresa está a produzir abaixo das suas capacidades e necessidades, colocando em causa a sua sustentabilidade, o que terá repercussões económicas, mas sobretudo acarretará problemas sociais de grande amplitude, caso a situação não evolua positivamente”, alerta a moção.

O MIRANTE tentou contactar a administração da empresa, mas não conseguiu resposta às questões colocadas.

Há cerca de dez anos a Fleximol também atravessou dificuldades devido à quebra acentuada das encomendas. Em Janeiro de 2009, mais de sete dezenas de trabalhadores foram colocados em lay-off (suspensão do contrato de trabalho) por um período de seis meses. O lay-off afectou 72 dos 154 trabalhadores da Fleximol. Durante seis meses os trabalhadores receberam apenas dois terços do salário (70 por cento dos quais pagos pela Segurança Social e 30 por cento pagos pela empresa).

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1423
    03-10-2019
    Capa Médio Tejo