Sociedade | 07-11-2019 12:30

Estudo da União dos Sindicatos de Santarém traça um retrato pouco risonho da realidade económica e social da região.

Estudo da União dos Sindicatos de Santarém traça um retrato pouco risonho da realidade económica e social da região.

Distrito de Santarém está a afundar-se económica e socialmente. Região tem cada vez menos população, menos trabalho e o poder de compra também tem vindo a baixar

Um estudo da União dos Sindicatos de Santarém, divulgado a 21 de Outubro, mostra que o distrito tem vindo a perder população e postos de trabalho, bem como poder de compra, sendo o salário médio 13% inferior à média nacional.

O retrato socioeconómico do distrito de Santarém, elaborado a partir de dados oficiais para servir de base de trabalho para o XI Congresso da União dos Sindicatos do Distrito de Santarém (USS/CGTP-IN), que se realizou no dia 30 de Outubro em Alpiarça, foi apresentado em conferência de imprensa, em Santarém e Tomar.

Segundo os dados divulgados, o distrito perdeu 22.500 habitantes entre 2011 e 2018 (5% da sua população, o dobro do restante país em termos percentuais) e assistiu a uma queda do emprego – menos 24% entre 2002 e 2013 -, existindo em 2017 menos 43.600 empregos que em 2002 (menos 19%), apesar da recuperação iniciada em 2014. O sector mais afectado foi a indústria, com menos 34.000 postos de trabalho entre 2002 e 2016, tendo a agricultura registado uma quebra de 17.600 empregos.

*Notícia desenvolvida na edição semanal em papel desta quinta-feira

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1429
    13-11-2019
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1429
    13-11-2019
    Capa Médio Tejo