Sociedade | 13-01-2020 17:02

Morreu o jornalista e escritor Nuno Rebocho

Morreu o jornalista e escritor Nuno Rebocho

Nuno Rebocho era um poeta de intervenção e um jornalista inconformado. Era ainda um animador cultural que deixou trabalho feito por todo o país.

Morreu ontem, 12 de Janeiro, em Mafra, onde vivia, o jornalista e escritor Nuno Rebocho. Tinha 75 anos, e era natural de Queluz. Nos últimos tempos viveu em Cabo Verde, Cidade Velha de Santiago, onde foi durante muitos anos assessor do presidente da câmara da cidade património mundial da humanidade . Foi lá que ajudou a organizar em 2012 o Primeiro Encontro de Poetas de Cabo Verde. Por razões de saúde regressou entretanto a Portugal.

Nuno Rebocho era um poeta com vasta obra publicada. Entre os seus títulos contavam-se os livros “A Invasão do Corpo” (1997) “Manual de Boas Maneiras “(2005) e “A Arte das Putas” (2006) entre mais de três dezenas de publicações que abarcavam a poesia, o ensaio e o romance.

Começou a publicar em 1963 no suplemento juvenil do Diário de Lisboa e durante toda a sua vida colaborou com dezenas de publicações literárias. Como jornalista foi na RDP, nomeadamente na RDP2, que mais mostrou o seu talento como repórter embora tenha colaborado e trabalho em muitos outros títulos.

Nuno Rebocho Foi sempre um inconformado e um jornalista e escritor rebelde. Esteve preso nos calabouços da PIDE cerca de cinco anos.

Como animador cultural, actividade que desenvolvia com frequência por se considerar um cidadão com obrigações, deixou marcas por todo o país. A foto deste artigo foi obtida em Santarém numa iniciativa da Casa Museu Fundação Passos Canavarro.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1467
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1467
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo