Sociedade | 13-01-2020 15:00

Tomar quer Central do Pego a produzir hidrogénio

Tomar quer Central do Pego a produzir hidrogénio
RECONVERSÃO

A proposta vai ser apresentada a 16 de Janeiro na reunião da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) e depois aos administradores da Tejo Energia.

O município de Tomar quer que a Central do Pego passe a produzir hidrogénio. Para isso, a presidente da Câmara de Tomar, Anabela Freitas (PS), teve já uma reunião prévia com os administradores da Tejo Energia, que gerem a Central do Pego, para apresentar a ideia que é ainda “muito embrionária”.

O desafio foi lançado e será apresentado aos municípios parceiros que integram a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) para ser debatida. Posteriormente, será apresentada “com maior rigor técnico” à administração da central termoeléctrica. O anúncio foi feito pela autarca em resposta a um munícipe que questionou o executivo na reunião de câmara de 6 de Janeiro.

Na reunião com a CIMT de 16 de Janeiro a autarca irá acompanhada por técnicos sobre esta matéria, dos institutos politécnicos de Tomar e Portalegre, que se encontram a estudar a possibilidade. Se a proposta avançar a central termoeléctrica do Pego terá que sofrer uma reconversão que envolverá milhares de euros. Neste sentido, a autarca sublinha que a ser viável, tanto o Governo português como a União Europeia terão que “alinhar-se” com a estratégia definida.

Recorde-se que a central termoeléctrica, localizada nas freguesias do Pego e Concavada, a cerca de oito quilómetros da cidade de Abrantes, tem fecho anunciado para final de 2021 e estão a ser avaliadas novas finalidades para aquele complexo. A Central do Pego dá emprego a várias centenas de trabalhadores da região do Médio Tejo, o que tem preocupado todos os municípios que integram a CIMT.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1442
    29-01-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1442
    29-01-2020
    Capa Vale Tejo