Sociedade | 11-02-2020 15:00

Motorista apanhado com álcool na Cercipóvoa usa carro da associação para ir para casa

Situação tem gerado críticas entre os funcionários, que dizem tratar-se de um privilégio. Presidente da instituição fala em questão pontual e nega favorecimento ao trabalhador.

O motorista da Cercipóvoa que foi apanhado a conduzir sob efeito do álcool uma viatura da instituição com cinco utentes, em Fevereiro de 2017, tem utilizado um automóvel dessa entidade para se deslocar entre casa e o trabalho. A organização da Póvoa de Santa Iria presta apoio a pessoas com deficiência da região,

A situação tem gerado algumas críticas entre funcionários que dizem não compreender como é que um trabalhador que esteve envolvido naquela situação tem agora um automóvel da associação ao dispor para se deslocar diariamente entre a Costa de Caparica – onde reside – e a Cercipóvoa.

A O MIRANTE, o presidente da instituição, José Gonçalves, explica que a situação foi pontual e que muito em breve deixará de se verificar. Em causa esteve a saída de um dos motoristas da Cercipóvoa, em Julho último, situação que obrigou a direcção a pedir novamente ao motorista que tinha sido apanhado com álcool para que, extraordinariamente, assegurasse o transporte de utentes até que fosse contratado um novo profissional.

Para ajudar nas deslocações de e para casa, explica o dirigente, foi excepcionalmente entregue ao funcionário um dos automóveis da instituição, havendo a garantia de que este não o utiliza para outros fins particulares ou pessoais.

“O trabalhador em causa sofreu em 2017 um processo disciplinar e ficou 30 dias sem receber vencimento. Isso foi no passado e o serviço tem corrido bem e francamente não temos nada a apontar”, explica o dirigente. O trabalhador tem também conhecimentos de mecânica e tem sido ele a realizar algumas manutenções preventivas nas viaturas. “Já admitimos um motorista que acabou de tirar o curso que permite conduzir este tipo de viaturas e por isso acreditamos que em breve este assunto está resolvido”, acrescenta José Gonçalves, explicando que todos os trabalhadores foram informados da situação.

O motorista apanhado com álcool já tinha sido nomeado pela direcção, em 2018, como responsável pelos transportes, mecânica e manutenção de viaturas da instituição. O motorista, recorde-se, foi fiscalizado pela PSP ao final da tarde depois de uma alegada denúncia feita para a esquadra da Póvoa por um dos colegas de trabalho, que temeu pela segurança dos utentes.

A polícia interceptou o autocarro e mandou-o parar já entre a Encarnação e Sacavém para efectuar o despiste de alcoolemia ao condutor. O homem registou uma taxa de 0,43 gramas de álcool por litro de sangue, acima dos 0,2 que são o limite máximo para condutores de transportes colectivos, mas abaixo dos 0,5 que são exigidos para os restantes condutores de ligeiros.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1473
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1473
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo