Sociedade | 12-02-2020 10:00

Polícia não quer autocarros estacionados junto a escola da Póvoa de Santa Iria

Polícia não quer autocarros estacionados junto a escola da Póvoa de Santa Iria

Polícia diz que o trânsito na zona é caótico e que precisa de fazer cumprir a lei. Situação tem gerado desagrado junto de encarregados de educação mas também de autarcas.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) não tem deixado os autocarros escolares ficarem estacionados à porta de uma escola da Póvoa de Santa Iria enquanto esperam pela chegada dos alunos e a situação tem gerado queixas de alguns autarcas e encarregados de educação. A situação acontece na Escola Básica do 1º Ciclo e Jardim de Infância da Póvoa Norte, situada na Rua Alcino de Oliveira e Silva, no Bairro dos Caniços, estabelecimento escolar que fica ao lado da esquadra.

A rua tem dois sentidos de trânsito e os autocarros de 56 lugares que param à porta da escola para levantar e deixar as crianças têm por hábito permanecer no local durante longos minutos à espera que cheguem os alunos para entrar novamente, ocupando parte da estrada e bloqueando os automóveis que estão estacionados. A situação acontece em alturas em que muitos pais estacionam também os carros em segunda fila naquela via para ir buscar os filhos.

Os agentes da autoridade consideram que a situação coloca em risco a circulação automóvel na zona. “O problema é que nos dias de chuva os meninos saem e o autocarro não está lá, ficam todos molhados, é uma tristeza”, lamenta Fernanda Pires, mãe de uma aluna a O MIRANTE. “Ainda por cima a estrada tem pouco ou nenhum trânsito”, acrescenta.

O caso foi também relatado na última Assembleia de Freguesia da União de Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa, por José Rita, da bancada da CDU, que lembrou as dificuldades de estacionamento existentes naquele local. “O autocarro deixa as crianças e quando vai fazer a recolha tem obviamente de parar na via pública durante alguns momentos, junto a outras viaturas. O que se passa é que os agentes saem da esquadra e dirigem-se aos motoristas dizendo que não podem estar ali parados. Isso obriga-os a arrancar, descer a zona das vivendas e voltarem para trás. Andamos a brincar com os autocarros na Quinta da Piedade para a frente e para trás”, criticou.

O presidente da junta de freguesia, Jorge Ribeiro (PS), reconhece que a situação gera incómodos aos motoristas, alunos e aos pais e garante que já fez chegar à PSP o apelo para maior compreensão.

Polícia fala em situação caótica e desordenada

A O MIRANTE, a PSP confirma que os agentes da Póvoa, após “sucessivas chamadas de atenção” por parte de pais, educadores e utentes da via para a paragem dos autocarros em frente à escola, tem apelado “pedagogicamente” aos motoristas para que não o façam. “Para além de estarem naturalmente em infracção, colocam em causa a saída de viaturas devidamente estacionadas e em risco as crianças que ao saírem em direcção aos carros dos pais, precipitam-se para a estrada”, explica a PSP.

Além do condicionamento da via, a presença dos autocarros na mesma altura em que outros pais estacionam para ir buscar os filhos limita a utilização da estrada por outros condutores e gera um caos e desordenamento tal em que a falta de civismo já colocou em causa a saída de meios de socorro da esquadra.

“Iremos oficiar a junta de freguesia para se identificar uma solução junto aos locais de estacionamento que possa atenuar esta situação e apelamos aos pais que percebam que o papel dos polícias, no controlo desta situação caótica, visa acima de tudo e em primeiro lugar a segurança dos seus filhos”, explica a PSP.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1443
    29-01-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1443
    29-01-2020
    Capa Vale Tejo