Sociedade | 13-02-2020 10:00

Vasco Gargalo não se vai deixar vencer pelas virgens ofendidas

Vasco Gargalo não se vai deixar vencer pelas virgens ofendidas

O cartoonista esteve envolvido numa polémica internacional por causa de um desenho, mas numa época de virgens ofendidas diz que não vai deixar de fazer o seu trabalho.

Não está fácil ser cartoonista nos tempos que correm. Como se não bastasse a precariedade da profissão ainda há grupos de poder que lidam mal com a sátira e a crítica, diz Vasco Gargalo, cartoonista de Vila Franca de Xira que na passada semana esteve envolvido numa polémica internacional por causa de um desenho sobre Israel e as políticas do seu primeiro-ministro, Benjamim Netanyahu.

“Sentimos que a liberdade de expressão está ameaçada. Vivemos num tempo de virgens ofendidas. Estamos numa era muito sensível mas onde vou continuar a fazer o meu trabalho”, conta a O MIRANTE Vasco Gargalo.

Em causa está um cartoon de 15 de Novembro de 2019, publicado na plataforma Cartoon Movement, e que na semana passada voltou a ser publicado nas redes sociais a propósito do aniversário da libertação do campo de concentração de Auschwitz, intitulado “O crematório”. No boneco, o primeiro-ministro de Israel surge com uma estrela de David no braço e empurra para um forno um caixão coberto com a bandeira da Palestina, havendo por cima a inscrição “Arbeit Mach Frei” – “O trabalho liberta”.

*Reportagem desenvolvida na edição semanal em papel desta quinta-feira

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1443
    29-01-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1443
    29-01-2020
    Capa Vale Tejo