Sociedade | 24-02-2020 07:00

Idosa passa fome e vive rodeada de lixo em Samora Correia

Habitação não tem as condições mínimas de salubridade. Município de Benavente já diligenciou intervenção social após receber denúncia de uma familiar.

Na Rua dos Operários Agrícolas, em Samora Correia, vive uma mulher, de 76 anos, numa casa sem as mínimas condições de salubridade, onde há lixo por todo o lado, comida estragada e dejectos humanos. O alerta foi lançado por uma familiar que encontrou a idosa em estado desnutrido, desidratada e impregnada de mau cheiro. “Aproximei-me dela e imediatamente comecei a sentir vómitos tal era o cheiro. Estamos a assistir à degradação total de um ser humano e ninguém faz nada”, relatou Glória Cordeiro a O MIRANTE.

A familiar, que foi à última sessão da Assembleia Municipal de Benavente denunciar o caso, conta que já anda desde 2016 a tentar encontrar uma solução, tendo contactado a linha de apoio ao idoso e a Segurança Social. A idosa não tem filhos e vive sozinha desde que o marido faleceu. Tem como familiar mais próximo um irmão que supostamente é quem lhe levanta e entrega a reforma.

Contactada por O MIRANTE, a Segurança Social refere que a idosa está a ser acompanhada pelos serviços de Ação Social desde Outubro de 2016, data em que foi realizada a primeira visita domiciliária, onde se constatou que “apresentava uma aparência descuidada, falta de higiene e discurso repetitivo, eventualmente relacionado com um quadro demencial”. Em 2018 realizaram nova visita domiciliária, em articulação com a GNR, da qual resultou um auto, posteriormente remetido ao Núcleo de Investigação e de Apoio a Vítimas Específicas.

Apesar das repetidas denúncias a idosa continua a viver em condições precárias num ambiente insalubre. “Trata-se de um caso de saúde pública que envergonha a população de Samora Correia”, lamenta Glória Cordeiro que, farta de tentar encontrar uma solução para a idosa, foi à Assembleia Municipal de Benavente denunciar a situação e pedir ajuda.

Município considera que o caso é “inadmissível”

O presidente da Câmara de Benavente, Carlos Coutinho, disse desconhecer o caso e estranhar que não tenha havido intervenção. “O presidente da câmara não tinha conhecimento da situação e considera inadmissível um ser humano ser tratado desta forma”, acrescentou o autarca, deixando a garantia de que iriam ser tomadas diligências para que a idosa possa receber apoio domiciliário.

Na Rua dos Operários Agrícolas a porta de casa da idosa mantém-se trancada e, apesar das tentativas de O MIRANTE, a senhora não deu sinal de presença. Alguns vizinhos relatam que é difícil a aproximação, porque a mulher não permite que lhe entrem em casa. Encontram-na nas ruas ou numa ida ao supermercado, mas ninguém consegue estar muito tempo junto a ela por causa do cheiro insuportável, conta Glória Cordeiro.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1449
    04-03-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1449
    04-03-2020
    Capa Vale Tejo