Sociedade | 25-03-2020 17:55

Vaqueiros alerta para descargas poluentes no Alviela

Vaqueiros alerta para descargas poluentes no Alviela
Foto: DR

Descarga de origem industrial deixou a água de cor acastanhada, com espuma e um cheiro tóxico e com animais mortos junto às margens.

O telefone de Miguel Tomás começou a tocar hoje bem cedo. Do outro lado estavam vários habitantes de Vaqueiros que alertavam para mais uma descarga poluente no rio Alviela. “Infelizmente é um problema antigo e recorrente”, refere o presidente da União de Freguesias de Casével e Vaqueiros a O MIRANTE.

Os telefonemas começaram na manhã desta quarta-feira, 25 de Março, e a preocupação estava relacionada com uma descarga de origem industrial no rio que deixou a água de cor acastanhada, com espuma e um cheiro tóxico e com animais mortos junto às margens.

Fernando Gomes, secretário da união de freguesias deslocou-se ao local e documentou o cenário, tendo reportado o sucedido às autoridades competentes: SEPNA da GNR e serviço de Ambiente da Câmara Municipal de Santarém. A resposta do SEPNA foi célere, “informou apenas que foi aberto um processo”, refere Miguel Tomás lamentando que nunca se chegue a conclusão nenhuma.

“Foi gasto muito dinheiro em obras de melhoramento da ETAR de Alcanena que não resolveram o problema. Sempre que a estrutura não tem capacidade de resposta faz descargas directamente no rio ou nos seus afluentes”, afirma o presidente da autarquia lembrando que, apesar do Estado de Emergência declarado há cerca de uma semana todas as fábricas de curtumes continuam a laborar em pleno em Alcanena.

Infelizmente a Covid-19 veio comprovar que o vírus das empresas de curtumes sem escrúpulos e poluentes já existe há muitos mais anos e infelizmente sem consequências para os que constantemente poluem”, desabafa o autarca nas redes sociais.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1449
    04-03-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1449
    04-03-2020
    Capa Vale Tejo