Sociedade | 28-06-2020 10:00

Escola de Música Choral Phydellius  é um símbolo de Torres Novas

Escola de Música Choral Phydellius  é um símbolo de Torres Novas

Na Escola de Música Choral Phydellius o ambiente é de grande silêncio ao contrário do habitual.

Na Escola de Música Choral Phydellius o ambiente é de grande silêncio ao contrário do habitual. A escola ainda não retomou as aulas presenciais, canceladas devido à pandemia, apesar de não estar parada. As aulas, teóricas e práticas, são ministradas pelos professores através de plataformas online. As rotinas foram alteradas mas nem por esse motivo quem tem a paixão pela música baixou os braços.


“Tudo isto foi uma experiência nova para todos mas adaptámo-nos com uma facilidade surpreendente uma vez que todos, docentes, pais e acima de tudo alunos, encararam esta nova realidade com grande vontade de continuar a aprender e a fazer”, diz o presidente da direcção, Júlio Clérigo.


A escola, com ensino oficial, só não tem mais alunos do que os actuais 250 alunos porque não pode. A lista dos que ficam de fora é considerável devido aos números impostos pelo Ministério da Educação. “Temos uma equipa fantástica e por isso temos esta qualidade reconhecida por toda a comunidade torrejana e não só”, explica o dirigente. “Há muitos alunos que seguem para o ensino superior depois de passarem pela escola de música de Torres Novas e que regressam como professores.”


Para Júlio Clérigo a melhor publicidade é o trabalho que é feito. “O nosso coro, por exemplo, sempre foi muito conhecido e isso fez com que avós colocassem os filhos no coro, depois na escola e agora até os próprios netos já frequentam. Somos uma escola multi-geracional”, sublinha.


Aquilo que distingue esta escola de outras é haver uma grande ligação orgânica entre professores, alunos, coralistas e toda a sociedade. “O Choral Phydellius é já uma grande marca de Torres Novas, o que é fundamental para o sucesso. Tem um carácter muito familiar”.


Apesar das instalações cedidas pela câmara, que eram um velho armazém que a autarquia recuperou para instalar a Escola de Música, o sonho de Júlio Clérigo passa exactamente por ter as melhores condições possíveis para oferecer ao corpo docente e aos alunos. “Um espaço dotado de condições acústicas e climáticas de maior dimensão era um sonho que gostaria de ver realizado. Não estamos mal, mas poderíamos estar melhor”, afirmou.


O Choral Phydellius foi fundado em 17 de Maio de 1957 e iniciou a sua actividade como coro masculino dedicando-se exclusivamente à interpretação de Música Sacra. Em 1961 adopta uma formação mista. Em 1975 a instituição passa a contar com uma Escola de Música cuja oficialização em 1993 foi concedida pelo Ministério da Educação.


Actualmente, está habilitada a ministrar cursos oficiais, básicos e secundários de vários instrumentos. A par dos cursos oficiais assegura também o ensino a classes infantis dos âmbitos etários e escolares correspondentes ao pré-escolar e ao primeiro ciclo do Ensino Básico. Desde 1989 que alcançou o estatuto de Instituição de Utilidade Pública.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo