Sociedade | 29-06-2020 18:00

Empresa de Constância com centenas de encomendas de máquinas de desinfecção

Empresa de Constância com centenas de encomendas de máquinas de desinfecção

Alcoolmatic viu no combate à pandemia uma oportunidade de diversificar e desenvolver o seu negócio.

Uma pequena fábrica situada em Montalvo, Constância, criou a Alcoolmatic, uma máquina automática de desinfecção de mãos para utilização no combate à pandemia da Covid-19 tendo registado desde Março “centenas de encomendas” para todo o país e Europa.
“Em Março estava a ponderar despedir pessoas, porque o trabalho parou quase por completo devido ao coronavírus, mas numa reunião entre todos sobre o que poderíamos fazer surgiu a ideia de, fazendo uso da nossa experiência, dar uma resposta à pandemia e também ao nosso problema criando uma máquina de desinfecção automática das mãos para instalar em espaços públicos”, afirmou Daniel Pereira, proprietário da HJDP – Alimentar.


A empresa nasceu em 2016 a pensar no desenvolvimento de máquinas e equipamentos para a indústria alimentar e, nesse campo, também sistemas de higiene industrial. Incluindo o próprio empresário, a empresa contabilizava 12 trabalhadores, mas já contratou mais quatro funcionários para dar resposta às encomendas que chegam de todo o país e que se começam a estender a vários países europeus.


Numa situação adversa, considerou Daniel Pereira, houve “criatividade perante a oportunidade” e a solução “permitiu passar ao lado do lay-off” numa empresa com capacidade técnica para trabalhar diversas ligas metálicas, nomeadamente o aço inoxidável, o ferro, o alumínio, o cobre e o titânio. A máquina é fabricada em aço inox, com um peso de 25 quilogramas, é portátil e tem um depósito com capacidade para quatro litros de solução hidroalcoólica que dão para cerca de duas mil desinfecções, bastando estar ligada a uma ficha monofásica de 220 volts.


A Alcoolmatic tem uma bomba, um sensor e uns aspersores”. Basta colocar as mãos no equipamento e pulveriza o desinfectante, ninguém precisa de tocar no equipamento”, conta Daniel Pereira, notando que a máquina, já patenteada, tem tido muita procura. A máquina está instalada, por exemplo, no restaurante do Estádio da Luz, nos hospitais do Médio Tejo e no Hospital de Coimbra, em farmácias, em escolas e no aeroporto de Lisboa.


Desde que o primeiro equipamento foi vendido a uma fábrica instalada no concelho, a 16 de Março, decorreram três meses e surgiram centenas de encomendas de norte a sul do país e ilhas para equipar, além de hospitais e restaurantes, fábricas, câmaras municipais, hipermercados, farmácias e onde quer que haja espaços públicos. Recentemente foram enviadas 30 máquinas para Espanha e houve também solicitações da Áustria, Suíça, França e Holanda.


O mais recente desafio surgiu há poucos dias e a empresa está a ultimar a resposta técnica para a solicitação: “Algumas câmaras gostavam de instalar estas máquinas nos jardins e espaços públicos e pediram-nos para ver se era possível tecnicamente encontrar uma resposta, que estamos a finalizar e que passa pela acoplagem de um painel solar para o fornecimento da energia à máquina”, contou Daniel Pereira.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo