Sociedade | 29-06-2020 18:00

Turismo quer dar nova vida às aldeias avieiras da Lezíria do Tejo

Turismo quer dar nova vida às aldeias avieiras da Lezíria do Tejo

Rota da Cultura Avieira, apresentada na sexta-feira, cumpre-se em três dias e apresenta várias sugestões, entre visitas culturais, gastronomia, provas de vinhos e actividades equestres.

Ainda há aldeias avieiras na Lezíria do Tejo que estão ao abandono e é preciso agir com urgência para as salvar. O alerta foi deixado pelo presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERTAR), António Ceia da Silva, durante a apresentação da Rota da Cultura Avieira, que decorreu na sexta-feira, 19 de Junho, na aldeia avieira do Escaroupim, concelho de Salvaterra de Magos.


Segundo Ceia da Silva, algumas autarquias têm-se desleixado com as aldeias avieiras não fazendo as requalificações necessárias nos locais. O lançamento desta rota deve ser visto, por isso, como uma oportunidade para que se façam os ambicionados investimentos de remodelação desses lugares com grande carga histórica e cultural. “Ainda ontem falei com o presidente da Câmara de Alpiarça, Mário Pereira. Eles também têm uma aldeia avieira (Patacão), mas tem que ser ali feita uma intervenção”, adianta.


O presidente da ERTAR quer agora que as empresas de animação turística agarrem esta oportunidade e possam vendê-la aos turistas. “Queremos que as pessoas façam três dias à volta da cultura avieira, mas também associando outros factores, como as salinas de Rio Maior. Porque ninguém vai visitar dez enoturismos, não pensem nisso”, admite.


O presidente do município, Hélder Esménio, referiu que a Rota da Cultura Avieira tem vindo a ser trabalhada há vários anos por académicos e foi agora entregue à ERTAR para valorização deste património. Destacou ainda a importância de incluir o Escaroupim neste projecto cultural não só para o concelho mas também para a própria comunidade local.


“São pessoas reais que vivem a experiência avieira. Temos também o rancho folclórico local e temos a junção do investimento público ao privado, que tem sabido valorizar este património”, afirma o autarca lembrando que reconstruiram a Casa Típica Avieira e recuperaram a antiga escola primária para criar o Museu “Escaroupim e o Rio”.

Das aldeias às salinas e caralhotas

A Rota da Cultura Avieira foi criada no âmbito das Rotas do Touring Cultural do Alentejo e Ribatejo. À visitação das aldeias avieiras do Porto da Palha (Azambuja), da Palhota (Cartaxo), Caneiras (Santarém), Patacão (Alpiarça) e Escaroupim (Salvaterra de Magos) somam-se outras propostas, como a prova de vinhos e a famosa caralhota em Almeirim, aulas de equitação na Golegã ou visita às salinas e pernoita em Rio Maior.

Turismo do Alentejo e Ribatejo avança com certificação sanitária

A Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo (ERTAR) está a fazer a certificação de segurança sanitária dos alojamentos locais da Lezíria do Tejo. A informação foi adiantada pelo presidente da ERTAR, Ceia da Silva, durante a apresentação da Rota da Cultura Avieira.

De acordo com Ceia da Silva, neste momento desconhece-se como as populações locais vão reagir num futuro próximo, mas sabe-se que é importante assegurar a segurança sanitária do turista. E, por isso, a ERTAR decidiu ir mais além do que recomenda o Turismo de Portugal - que criou o ‘Clean and Safe’ - e avançar para a emissão de certificados de segurança sanitária dos alojamentos locais, da restauração e da animação turística. O objectivo é dar mais confiança aos turistas e relançar o sector. “Queremos dar mais força ao facto desta região ser um destino seguro”, afirmou o presidente da ERTAR.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo