Sociedade | 30-06-2020 07:00

Tectania adia investimento em Abrantes e justifica-se com a pandemia

Investimento de empresa brasileira foi anunciado pela anterior presidente do município, Maria do Céu Albuquerque, e previa-se a criação de cerca de 300 postos de trabalho.

O processo administrativo com vista à instalação da empresa brasileira Tectania em Abrantes vai ser encerrado. O presidente do município confirmou a situação em sessão camarária. Manuel Valamatos explicou que formalmente o actual processo de instalação da empresa na Zona Industrial de Abrantes termina uma vez que os empresários admitem não haver condições para o cumprimento dos prazos estabelecidos. O autarca sublinha que os empresários brasileiros mantêm interesse em instalar a sua empresa em Abrantes, existindo a possibilidade de iniciar um novo processo após a pandemia da Covid-19.


A intenção da Tectania foi anunciada, em Maio de 2018, pela então presidente da Câmara de Abrantes, Maria do Céu Albuquerque, actual ministra da Agricultura. A empresa brasileira informou o município da sua incapacidade em cumprir os prazos estabelecidos por isso o processo vai ser encerrado. A empresa dedicada ao fabrico de motociclos deveria ter criado, em 2018, oito postos de trabalho, o que não aconteceu. Em Maio de 2019 a Tectania requereu a prorrogação por um ano do prazo de assinatura do contrato de compra e venda e para submeter o projecto das instalações a controlo urbanístico. Um ano depois a empresa reconheceu não ser capaz de cumprir os prazos estabelecidos.


No final do ano passado, Manuel Valamatos informou que os empresários brasileiros estavam em negociações com empresas chinesas para conseguirem financiamento. Agora contactaram o autarca para dizer que face à pandemia de Covid-19 será impossível investirem em Abrantes. Os empresários garantiram a Valamatos que não pretendem desistir do projecto e continuam sediados no Tagusvalley – Parque de Ciência e Tecnologia. “Sei que estão a pagar quotas pelo terreno mas não conseguem cumprir as datas e há prazos formais que temos que trazer a reunião camarária para encerrar o processo, podendo ser reiniciado após a pandemia”, explicou.


Há cerca de dois anos a Câmara de Abrantes aprovou uma candidatura da empresa Tectania para aquisição a preço simbólico de um terreno no Parque Industrial de Abrantes. Aprovou também a concessão de apoios de natureza fiscal para instalação dessa empresa fabricante de motociclos, no âmbito do quadro de incentivos fiscais da Câmara de Abrantes a projectos empresariais que contribuam para o desenvolvimento económico e para a criação de emprego no concelho.


A Tectania previa quintuplicar o número de colaboradores em 2019 atingindo os 296 trabalhadores em 2025. Foi anunciado como um investimento de 44 milhões de euros pela empresa. A Tectania propunha-se ter capacidade plena de produção de motociclos e do primeiro modelo em Dezembro de 2021 e capacidade plena de laboração com mais dois novos modelos em Outubro de 2025. A previsão de volume de negócios para 2021 era de 83,7 milhões de euros.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1463
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo